Por que ele sempre me chamar de menina

Minha vida.....

2020.11.27 03:02 terrordelas14 Minha vida.....

(nesse post vou comentar tudo que venho guardando de ruim em mim desde meus 5-6 anos...) Tudo começou no 1° ano do ensino fundamental, eu não sei porque mas alguns colegas não gostavam de mim, eu nunca os tinha visto na vida, mas isso piorou no 2° ano, quando começei a sofrer bullying. Não sei porque mas esse ódio gratuito triplicou e comecei a sofrer hate, eu não era de brincar com brincadeiras apelativas (empurrar, tapa etc) mas eu fazia quando faziam comigo, e assim foi, me zoavam, me batiam e a coordenadora via e não fazia nada, eu chegava a chorar de ódio e como bom e besta coração eu perdoava a pessoa e recomeçava, mas quando era eu "vingando" bastava chamar meus pais. E assim foi até o 5° ano fundamental onde agravou bastante a situação onde eu acho que foi minha primeira depressão (mais tarde explico), eu levava chute, bicuda na barriga soco, e etc além de ser mira da língua mas meninas da sala, eu era o menor e mais novo da sala, eles me desprezavam, batiam fisicamente e verbalmente e quando a professora via eu tomando atitude pra fazer algo ela dizia "partiu pra agressão perdeu a razão" como se só eu batia em alguém naquela sala aff... e quando começou os ataques eu começei a ser um aluno problemático pra tentar aliviar o sofrimento, com isso meus pais começaram a vigiar mais minha vida escolar e eu sempre tive muito problema em matemática, e meu pai me ensinava, pra ele tudo era soma multiplicação adição subtração e divisão ele me dava "aula" a berros e gritos eu chorava era um pesadelo!!! Mas mesmo assim eu perdoava ele porque eu achava que tudo aquilo era para o meu bem e foi aqui que começei a falar sozinho, pra desviar daquilo, depois de um tempo no mesmo ano eu começei a pensar, "a ném, mais um dia as mesmas coisas" e foi quando eu acho que começou minha depressão sem saber, mesmo não sabendo o'que era eu queria me matar mas não tinha coragem (isso com 9-10 anos de idade) enfim, em 2014 quando fiz 10 anos no mesmo ano um tempo antes (julho) minha avó faleceu, minha avozinha que tanto amava que era tudo pra mim, e eu me senti culpado pela Morte dela pois ela fazia tratamento contra a leusemia e mesmo assim ela me comprava um bocado de coisa, e nesse mesmo ano eu ganhei meu primeiro celular digital que fez com que eu conhecesse jogos incríveis como Minecraft ;) e lá fui eu conhecer esses jogos e logo pensei "se todos me odeiam vou ficar na minha fazendo o'que eu gosto, e assim foi 2014-2017 esses foram os anos mais incríveis da minha vida onde tive um bocado de experiência boa na vida, mas meu pai não gostava que eu jogava pois achava que eu ia ficar louco, meu pai, eu não culpo ele mas ele fez muito mal pra mim, não físico mas sim sentimental enfim em 2017 (final) fui diagnósticado com panhipopituitarismo ( se se interessar pesquisem) e isso ferrou meu consciente de novo pois meu pai tem que viajar direto pra capital do meu estado buscar remédio além de gastar em vários outros, e isso fez meu psicológico fuder de um jeito.... Enfim, em 2018 eu tive uma das piores experiências da minha vida, sim, tive um amor abusivo/iludido não quero adentrar mas isso me fez entrar em depressão que consegui novamente curar sozinho, pois meu pai acha que isso é coisa de fraco e que tem que matar quem ta te fazendo mal, E minha mãe ia preocupar demais eu dei a volta por cima e vamos para 2019, ia ser um ano zica se não fosse o fim, eu estava gostando de uma garota mas no final ela tava me testando e taquei o foda-se mas meu primo que eu confiei muito explanou um segredo que contei pra ele, descobri esse ano por um amigo, esse meu primo se paga demais de fodão só porque não é mais virgem e fuma narguilé (adolescente moderno mas tenho 16 e ele 17 e não sou e nem quero pegar essa característica dele) mas ele sujou meu nome pra cidade toda e eu falando com pessoas principalmente meninas que sabem desse segredo meu (tem haver com panhipopituitarismo que disse mais cedo no texto) meu pai reclama que só fico jogando depois de tudo isso enfim essa é minha vida....
submitted by terrordelas14 to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 19:28 SnooRevelations4846 ME ENTENDENDO NESSA PANDEMIA...

Sempre tive isso dentro de mim, eu apenas não aceitava e reconhecia, eu me esforçava para parecer hetero na frente de todos, sempre que passava uma menininha eu olhava para fingir que gostava para os meus amigos, mas quando eles estavam distraídos eu dava um raspão de olhada mesmo era para os meninos, eu chegava a ser até o homofóbico ás vezes, não me orgulho disso.
Para mim isso só acontecia porque eu nunca tinha ficado com nenhuma menina, até que no começo desse ano, conheci uma menina dá minha igreja na escola... então aconteceu de que nós dois começamos a conversar e nossos amigos começaram a perguntar pra ela, se ela ficaria comigo... meus amigos me perguntaram o mesmo. Eu disse que sim porque eu só estava com medo de terminar o ensino médio sem nunca ter beijado ninguém (drama teen), mas internamente eu só queria saber se eu podia sentir algo por uma menina!
Mais tarde nós nos beijamos, e eu simplesmente não senti nada! diziam que parece que tem borboletas na barriga, mas nada aconteceu, foi só um beijo sem emoções.
Na Pandemia começamos a trocar muitas mensagens e eu comecei assim... a me sentir muito hetero. Ás perguntas que eu tinha sobre mim, começaram a desaparecer. Comecei a imaginar um futuro com ela e tals, bem casalzinho mesmo. Isso foi por 4 meses, de março até um pedaço de junho. Então comecei a querer ver pornografia gay😶 Tinha certeza que era Bi nessa época. Minha mãe sabia que eu estava conversando com essa menina e foi falar para o resto dá família que eu estava namorando, daí eu fiquei tipo... tão tá né! Mandou eu chamar ela para o meu aniversário, eu chamei né, morrendo de vergonha mas chamei, tinha sido a primeira vez que agente ia se ver desde a quarentena! Contei o que minha mãe disse pra minha família e ela disse que vinha como minha namorada então. Começamos a namorar! Não foi feito nenhum pedido, mas se tratávamos como tal.
Comecei a frequentar a casa dela, se beijamos várias vezes... O negócio esquentava por diversas vezes, mas não saia do lugar, diz ela que a primeira vez queria que fosse depois do casamento, eu não via problema em esperar ela, eu também no fundo não queria, mas não sabia o porque, já que eu achava que era Bi. Ficamos assim num relacionamento de 15 em 15 dias eu indo lá. Sempre que saia de lá eu pensava: "Ai que vontade de beijar um homem" 😅. Comecei a assistir vídeos LGBTQIA+ na internet e a entender mais sobre mim. Comecei a me questionar novamente, decidi que não estava feliz indo na casa dela e resolvi terminar o relacionamento. Disse que não estava apaixonado e não sabia se um dia iria me apaixonar um dia por ela, que eu apenas gostava dela e de ficar com ela, mas achava que só ficaria por isso mesmo. Sugeri continuarmos amigos e ela disse que depois do fim de um relacionamento, ela bloqueia a pessoa total e que não fala mais com o ex. Na mesma hora, eu pensei melhor e levei ela para fora do ape dela (a mãe dela estava no quarto do lado) e disse para ela que estava em dúvida sobre a minha sexualidade! Ela me entendeu, me agradeceu por ter sido honesto com ela. Ela sugeriu continuarmos juntos porque eu podia ser BI e me arrepender depois. Em fim, não continuamos.
Duas semanas depois do término agora, eu sei que eu sou Gay! Então não poderia dar certo mesmo.
"Quero me adentrar mais na comunidade, então se alguém tiver um grupo LGBT+ que eu possa entrar, ia ser muito grato. Tenho 17"
submitted by SnooRevelations4846 to gay [link] [comments]


2020.11.20 03:34 fabin_22 Qual é meu estilo?

É difícil nos encaixarmos em algum grupo quando não somos exatamente o perfil comum de cada estilo. Existem pessoas que não tem esse problema, elas desde sempre já são pertencentes a um grupo, e sem esforços pra fazer isso acontecer. Elas simplesmente já estavam lá, e é mérito delas, ou sorte. Mas para pessoas como eu, se encaixar em uma "tribo", ou ter pessoas com gostos semelhantes que se possa chamar de 'amigos' pode ser muito difícil e muito frustrante.
No terceirão eu sentava na fileira do canto, conversava com 2 ou 3 amigos que sentavam próximos a mim. Desse canto, eu observava a sala toda, todos os alunos rindo, paquerando, fazendo algazarra, e eu lá. Eu lá simplesmente observando o dia-a-dia de outras pessoas. Era estranho, como se a minha vida fosse assistir a vida das outras pessoas acontecer e eu lá, simplesmente só observando. E eu percebia algumas coisas de tanto observar. A mais patricinha das garotas era apenas e tão somente uma garota. Também tinha inseguranças, também se sentia mal por ser virgem quando sabia que outras meninas já haviam transado, até conversas de depilação íntima eu ouvi a menina mais bonita da classe dizer que estava há vários meses sem se depilar porque estava com alergia nas partes íntimas. Ou seja, todo mundo naquela sala de aula, sendo parte do grupinho popular ou não, nós éramos simplesmente adolescentes que não sabíamos nada da vida. Mas porque então eu me sentia sozinho? Porque ao mesmo tempo que eu me sentia igual a eles, também me sentia quase que um extraterrestre? Uma vez fui tentar conversar sobre isso com uma das pessoas que sentavam perto de mim e ele simplesmente me respondeu: "cara, toda sala tem os populares e os não-populares. Nós somos a segunda opção". Parecia que ele não se importava nenhum pouco com isso, como se fosse natural aceitar isso. E hoje em dia eu penso que de fato deveria ser. Mas na época não. Eu queria ser e algum grupo. E dentro dos variados tipos de tribos na escola, me veio a pergunta: qual é o meu estilo? "Qual é o meu estilo?" Por dias e dias essa pergunta ficou martelando na minha cabeça. Decidi que eu tinha que mudar. Ainda dava tempo de ter alguma experiência boa no ensino médio. Em uma quarta feira cheguei mais cedo e decidi me sentar exatamente no meio da sala de aula, bem onde os populares se aglomeram. Ali fiquei esperando por quase meia hora o pessoal e ir chegando. Alguns deles estranharam eu estar ali. Olhavam pra mim mas não diziam "bom dia", nem um "oi", nem mesmo um "sai daí, seu freak". Era como se eu fosse grande nada e um grande tudo ao mesmo tempo, sendo que esse 'tudo' muito incomodava as pessoas daquele meio, literalmente o tal "meio" da sala. Por fim, o que aconteceu? Os populares migraram para o canto da sala, exatamente na região em que eu costumava sentar. Os meus amigos, que lá permaneceram, até trocaram palavras com os populares nesse dia. Ouvi um "nossa, vocês são legais, poderíamos juntar os grupinhos". E eu ali. No meio. Sozinho. Mais sozinho do que nos dias normais. "Qual é o meu estilo?" Bem, nesse dia eu tive uma resposta provisória: meu estilo é o que não se encaixa. Nesse dia não ouvi nenhuma palavra que os professores disseram. Não conversei com ninguém. Cheguei em casa e nem chorar eu consegui. Acho que nem triste eu estava. Obviamente nem feliz.
Faz uns 2 anos que esse fatídico dia ocorreu na minha vida. Hoje em dia posso dizer que tenho alguns amigos que acho que fariam o mínimo por mim.
Eu adoro histórias de adolescência. É uma fase na vida das pessoas muitíssimo interessante e sempre gera ensinamentos e análises. Hoje em dia eu trabalho, e a pergunta "qual é o meu estilo?" pode ser facilmente respondida à noite, depois de uma jornada intensa e de seções de transporte público: "Meu estilo é o que simplesmente vive".
submitted by fabin_22 to desabafos [link] [comments]


2020.11.18 17:01 pixxzzzz A minha timidez me impede de socializar e flertar

Lá vem texto grande, é bem chato mas eu só precisava soltar pra fora.
Até os meus 10/11 anos de idade eu sempre fui bastante extrovertido, conhecia todo mundo da minha sala, agia como líder, eu era de boas demais com todo mundo. Só que depois que a adolescência chegou eu mudei completamente, eu virei uma pessoa muita reservada, tímida e introvertida. (Eu ainda duvido de ser realmente introvertido, talvez eu só seja ansioso e tímido kkkkk.) Eu tenho alguns amigos na vida real mas a maioria é colega, só alguns que eu realmente posso chamar de amizade. Na internet eu tenho bastante amigos até, e não tenho nenhuma dificuldade pra socializar e até sou mais extrovertido (Por isso acredito que eu só seja tímido já que se eu fosse introvertido eu não seria tão social na net.) Eu não me importo de ter poucos amigos, se eles durarem a vida inteira, pra mim tá ótimo. Só que ao mesmo tempo eu tenho vontade de conhecer mais gente, não me importo se vai virar uma amizade ou não, só quero socializar mesmo, eu preciso viver. Só que no meu colégio eu já tenho fama de "estranho que fica quieto com os seus amigos estranhos", e é isso que é foda, mesmo eu querendo mudar, minha reputação já tá toda fudida. Pra flertar é pior ainda, não faço a mínima ideia de como chegar numa menina, ainda mais do jeito que eu sou, tímido.
Eu realmente não sei, só queria tentar mudar e mandar essa timidez pra puta que pariu, mas essa reputação que eu tenho me ferra muito.
submitted by pixxzzzz to desabafos [link] [comments]


2020.11.17 21:13 Delicious_Talk_1974 As pessoas me usam e depois discartam.

primeiro obrigado por ter clicado para ler, segundo, irei resumir isso para poder n ser um saco ler tudo.
Eu tenho dificuldades para conversas com pessoas, e sempre que invisto em alguém essa pessoa se mostra uma babaca ou me usa e discarta. para contar essa historia ja adianto que sou arromantico(não consigo me apaixonar e nem sentir atração romantica por alguém).
Eu conheci uma menina e a gente começou a conversa de vez em quando, só que um dia ela estava mal e eu fui e ajudei ela, ouvi respondi dei conselho e ela disse que estava triste por que um cara que irei nomear de ALBERTO para ficar facil, e irei nomear essa menina de RAFAELA, são nomes obviamentes falsos que pensei na hora aqui.
continuando, a rafaela disse que ela gostava do alberto e ele tinha dito que também mas no fim era uma mentira e ele só estava confuso e carente(palavras dele), ela ficou realmente mal eu me ofereci para ajudar, todo dia a gente ia jogar, conversa e etc para ela ficar melhor, só que um dia ele disse umas coisas la e ela entendeu ou talvez ele realmente tenha tido isso, não sei ao certo, porra me embolei mais o ponto é que ele disse que não sabia se gostava dela e estava confuso com sentimentos dele e bla bla bla, ela foi e baseado nisso agora joga toda hora com maluco, fica conversando somente com ele, parou de responder e quando responde mora horas para responder um ''OI'' eu tentei chamar ela para jogar mas ela nem ao menos responde, e quando responde fala "depois" ou muda de assunto e começa ignorar minhas mensagens.
Para mim de verdade ja to me sentindo uma mula idiota e cansei dessa bosta, eu sempre fico sozinho, ai alguem brota me usa e some, como se eu fosse um copo de plastico, cansei dessa merda e realmente to considerando ficar sozinho mesmo, melhor que ter filho da puta para fazer merda, peço que nem fale sobre existir pessoas boa no mundo, eu to realmente cansado disso, nem que faça ruim para mim mesmo ou que eu vire uma pessoa egoista, eu não vou mas recolher pedaços para no final me machucar para pessoa que acabei de consertar, não vou me gastar mas com lixo, que a solidão me consuma, eu to cansado.
submitted by Delicious_Talk_1974 to desabafos [link] [comments]


2020.11.12 22:05 SnooRevelations4846 Me descobrindo nessa pandemia e muito feliz

Essa Pandemia me ajudou muito a reconhecer e aceitar quem eu sou de verdade. Sempre tive isso dentro de mim, eu apenas não aceitava e reconhecia, eu me esforçava para parecer hetero na frente de todos, sempre que passava uma menininha eu olhava para fingir que gostava para os meus amigos, mas quando eles estavam distraídos eu dava um raspão de olhada mesmo era para os meninos, eu chegava a ser até o homofóbico ás vezes, não me orgulho disso.
ANTES DÁ PANDEMIA, NO MESMO ANO:
Para mim isso só acontecia porque eu nunca tinha ficado com nenhuma menina, até que no começo desse ano, conheci uma menina dá minha igreja na escola... Eu tinha me prometido que se caso um dia eu fosse namorar, que não seria com uma menina dá igreja, pois eu não queria me enroscar ainda mais na teia que me prende a igreja. Mas enfim, então aconteceu de que nós dois começamos a conversar e nossos amigos começaram a shippar agente, com isso, a amiga dela começou a perguntar pra ela, se ela ficaria comigo... meus amigos me perguntaram o mesmo. Eu disse que sim, e ela também disse que sim! Eu disse que sim porque eu só estava com medo de terminar o ensino médio sem nunca ter beijado ninguém (drama teen), mas profundamente eu só queria saber se eu podia sentir algo por uma menina!
Mais tarde nós nos beijamos, e acredito que até tenha sido um beijo bom, para uma primeira vez minha, mas eu simplesmente não senti nada! diziam que parece que tem borboletas na barriga, mas não aconteceu nada, foi só um beijo.
DURANTE A PANDEMIA:
Posteriormente começamos a trocar mensagens e eu comecei assim... a me sentir muito hetero. Ás perguntas que eu tinha sobre mim, começaram a desaparecer. Comecei a imaginar um futuro com ela e tals, bem casalzinho mesmo. Isso foi por 4 meses, de março até um pedaço de junho. Então comecei a me sentir atraído por pornografia gay😶 quando vi que olhava mais para um lugar do que para o outros nos de hétero, daí já estava naquelas, de pensar que era Bi. No final de julho eu já tinha isso como uma verdade pra mim, foi bem quando ocorreu o meu aniversário. Minha mãe sabia que eu estava conversando com essa menina e foi falar para o resto dá minha família que eu estava namorando, daí eu fiquei tipo... tão tá né! Mandou eu chamar ela para o meu aniversário, eu chamei né, morrendo de vergonha mas chamei, tinha sido a primeira vez que agente ia se ver desde a quarentena! Contei a história para ela, e ela disse que vinha como minha namorada então. Depois também, fui no aniversário dela, ela foi no dá minha mãe...
Comecei a frequentar a casa dela, se beijamos mais vezes... O negócio esquentava por diversas vezes, mas não saia do lugar, diz ela que a primeira vez queria que fosse depois do casamento, eu não via problema em esperar ela, eu também no fundo não queria, mas não sabia o porque, já que eu achava que era Bi. Ficamos assim num relacionamento de 15 em 15 dias eu indo lá. Sempre que saia de lá eu pensava: "Ai que vontade de beijar um homem" 😅. Comecei a assistir vídeos LGBTQIA+ na internet e a entender mais sobre mim, vi umas experiências que eu passei e que os outros também passaram. Então decidi que não esta sendo eu mesmo indo na casa dela, e resolvi terminar o relacionamento. No começo disse também verdades, que não estava apaixonado e não sei se eu iria me apaixonar um dia por ela, que eu apenas gostava dela e de ficar com ela, mas achava que só seria isso mesmo, sugeri continuarmos amigos e ela disse que depois do fim de um relacionamento, ela bloqueia a pessoa total e que não fala mais com o ex. Na mesma hora, eu pensei melhor e levei ela para fora do ape dela (a mãe dela estava no quarto do lado) e disse a verdade para ela... Que estava em dúvida sobre a minha sexualidade! Ela me entendeu, disse que vai continuar sendo amiga, pois fui muito honesto com ela... E hoje faz uma semana desde que terminamos.
SOU GAY!!!
submitted by SnooRevelations4846 to arco_iris [link] [comments]


2020.11.12 18:41 SnooRevelations4846 Minha vida nessa Pandemia

Essa Pandemia me ajudou muito a reconhecer e aceitar quem eu era de verdade. Sempre tive isso dentro de mim, eu apenas não aceitava e reconhecia, eu me esforçava para parecer hetero na frente de todos, sempre que passava uma menininha eu olhava para fingir que gostava para os meus amigos, mas quando eles estavam distraídos eu dava um raspão de olhada mesmo era para os meninos, eu chegava a ser até o homofóbico ás vezes, não me orgulho disso.
ANTES DÁ PANDEMIA, NO MESMO ANO:
Para mim isso só acontecia porque eu nunca tinha ficado com nenhuma menina, até que no começo desse ano, conheci uma menina dá minha igreja na escola... Eu tinha me prometido que se caso um dia eu fosse namorar, que não seria com uma menina dá igreja, pois eu não queria me enroscar ainda mais na teia que me prende a igreja. Mas enfim, então aconteceu de que nós dois começamos a conversar e nossos amigos começaram a shippar agente, com isso, a amiga dela começou a perguntar pra ela, se ela ficaria comigo... meus amigos me perguntaram o mesmo. Eu disse que sim, e ela também disse que sim! Eu disse que sim porque eu só estava com medo de terminar o ensino médio sem nunca ter beijado ninguém (drama teen), mas profundamente eu só queria saber se eu podia sentir algo por uma menina!
Mais tarde nós nos beijamos, e acredito que até tenha sido um beijo bom, para uma primeira vez minha, mas eu simplesmente não senti nada! diziam que parece que tem borboletas na barriga, mas não aconteceu nada, foi só um beijo.
DURANTE A PANDEMIA:
Posteriormente começamos a trocar mensagens e eu comecei assim... a me sentir muito hetero. Ás perguntas que eu tinha sobre mim, começaram a desaparecer. Comecei a imaginar um futuro com ela e tals, bem casalzinho mesmo. Isso foi por 4 meses, de março até um pedaço de junho. Então comecei a me sentir atraído por porn gay😶 quando vi que olhava mais para um lugar do que para o outros nos de hétero, daí já estava naquelas, de pensar que era Bi. No final de julho eu já tinha isso como uma verdade pra mim, foi bem quando ocorreu o meu aniversário. Minha mãe sabia que eu estava conversando com essa menina e foi falar para o resto dá minha família que eu estava namorando, daí eu fiquei tipo... tão tá né! Mandou eu chamar ela para o meu aniversário, eu chamei né, morrendo de vergonha mas chamei, tinha sido a primeira vez que agente ia se ver desde a quarentena! Contei a história para ela, e ela disse que vinha como minha namorada então. Depois também, fui no aniversário dela, ela foi no dá minha mãe...
Comecei a frequentar a casa dela, se beijamos mais vezes... O negócio esquentava por diversas vezes, mas não saia do lugar, diz ela que a primeira vez queria que fosse depois do casamento, eu não via problema em esperar ela, eu também no fundo não queria, mas não sabia o porque, já que eu achava que era Bi. Ficamos assim num relacionamento de 15 em 15 dias eu indo lá. Sempre que saia de lá eu pensava: "Ai que vontade de beijar um homem" 😅. Comecei a assistir vídeos LGBTQIA+ na internet e a entender mais sobre mim, vi umas experiências que eu passei e que os outros também passaram. Decidi que não estava mais me sentindo eu mesmo indo lá, e resolvi terminar o relacionamento. No começo disse umas verdades, que não estava apaixonado e não sei se eu iria me apaixonar um dia por ela, que eu só gostava muito dela e de ficar com ela, mas achava que só seria isso mesmo, sugeri continuarmos amigos e ela disse que depois do fim de um relacionamento, ela bloqueia a pessoa total e que não fala mais com ela. Na mesma hora, eu pensei melhor e levei ela para fora do ape dela (a mãe dela estava no quarto do lado) e eu disse a verdade para ela... Que estava em dúvida sobre a minha sexualidade! Conversamos e depois fomos no shopping, eu, ela e a mãe dela... fui como um sinal de que não precisaria acabar a amizade. Por fim... Ela me entendeu, disse que vai continuar sendo amiga, pois fui muito honesto com ela... E hoje fazem 5 dias que terminamos. Mds, escrevi demais né?!😅
submitted by SnooRevelations4846 to desabafos [link] [comments]


2020.11.11 15:00 Kim_C0ff33 A minha incrível vida..

Oi, eu sou novo aqui, eu sou um garoto trans, ou seja, eu era menina, mas então, meu nome é Shino, mas o meu apelido é Kim, pode me chamar de um dos 2, eu não ligo, mas vamos ao que importa..
Eu tenho boas condições de vida, mas você já deve ter escutado aquela fatídica frase: "Dinheiro não compra felicidade", é meus amigos não mesmo,.. eu tenho um estudo bom, um quarto bom, comidas boas.. mas,.. o que realmente não é bom.. é o preconceito que os meus pais e as famílias deles tem contra os LGBTQIA,..
Eu não sou um menino quieto, eu sempre ando aprontando, e com isso a minha mãe não confia muito em mim.. então certo dia, eu ia fazer minhas tarefas, mas eu quis ficar um pouco no celular, (tá, eu sei.. até aqui a história parece ser boba,.. mas continue lendo.. você verá que não é..) ok, tudo bem, até que minha entra no quarto perguntando algumas coisas,.. ok tudo bem, eu respondi normalmente, até que os olhos dela correm o meu corpo inteiro até chegar na minha mão.. que estava o celular, ela perguntou o que eu estava fazendo e.. eu menti, eu falei que estava dando uma olhada no classroom, mas óbvio que eu não estava, eu não ligava mais pra aquilo, ainda mais com uma escola maluca que passa um milhão de tarefas por dia, voltando,.. então a minha mãe, desconfiada de mim como sempre, pediu pra ver meu celular, eu dei.. não tinha nenhuma escolha sobre isso.. e ela foi pro quarto dela.. eu estava rezando pra que ela não lesse as conversas,.. mas ela leu.. Alguns minutos depois ela pediu pra eu ir no quarto, ok.. eu fui,.. mas quando chego ela e meu pai, começam a gritar loucamente, perguntando:
-- QUE NEGÓCIO É ESSE DE QUE TU É TRANS?
Eu realmente, me calei naquela hora, eu estava estático, e só queria chorar alto (pelo simples fato de que eles não falaram só isso, e que eu sofri homofobia do jeito mais horrível que tem).. quando eles acabaram de falar eu saí do quarto e minha mãe começou a chorar.. e eu também,.. claro, por motivos totalmente diferentes.., eu estava tendo uma crise de pânico, não estava conseguindo respirar direito, meu peito doía (no texto, não parece algo tão sério.. mas no dia foi horrível, eu acho que eu fiquei com trauma) Um dia depois, eu tive que pedir desculpas, em vez deles, porque na mente deles.. eu que estava errado..
4 dias depois.. eu acabei não podendo entrar em nenhuma mídia, porque pra eles, eu fui "influenciado"..
É isso, obrigado por ler até aqui..
submitted by Kim_C0ff33 to desabafos [link] [comments]


2020.11.08 19:32 ainteatingacentipede Minha escola cagava pra pedofilia.

Eu estudava numa escola estadual desde os onze. Nos quatro anos que eu estive lá eu presenciei pelo menos cinco histórias de pedofilia por parte dos professores. Com 13 anos eu comecei a enxergar o que acontecia lá depois que um professor de educação física começou a querer ficar mais "próximo" das meninas da sala. Ele fazia carinho, dava olhares, soltava piadinhas de mau-gosto e um dia ele começou a falar sobre PEITOS E BUNDAS. Eu conversei com a minha mãe sobre isso, ela ligou na escola e se passaram duas semanas sem ninguém fazer porra nenhuma. Certo dia ele resolveu "zoar" as meninas da sala de marmita. Eu contei pra minha mãe na saída e ela entrou direto na escola pra conversar com o professor. Ele desrespeitou até ela. No fim o vice-diretor ficou putasso com ele e depois disso ele nunca nem olhou mais pra nenhuma menina. Na mesma época, um professor fez uma piada de mau gosto com uma menina que estava com um pirulito na boca e deu um TAPA NA BUNDA DELA. E o que eles fizeram? Disseram que da próxima vez ele seria demitido. Da próxima vez... Da próxima vez que uma aluna ser humilhada na sala, talvez a resposta merda de vocês seja o motivo pelo qual ela não conte. No nono ano eu tinha um professor de matemática que era simplesmente o maior estrume q já passou por aquela escola. Ele diminuía os alunos falando que eles só serviam pra aparecer em capa de jornal, quando tinham alguma dúvida ele debochava, e até mandava gente que tava quieta calar a boca (literalmente isso aconteceu). Ele desrespeitava quase todo mundo na sala, menos meu grupo de amigas, alguns alunos que tiravam nota boa, e algumas outras meninas. Eu e as minhas amigas questionávamos a grosseria dele com os outros alunos, e até discutíamos com ele quando era preciso, mas nós éramos sempre as princesas, como ele gostava de chamar, e mesmo que a gente não tirasse nota boa a gente sempre terminava com uma média mais alta que o esperado. Um dia a gente estava conversando com uma menina sobre como esse professor era um pau no cu, e ela disse que ele dava aula pra ela no sexto ano, e que ele tinha uma "princesa" na sala dela também. No caso ele fazia massagem nas costas de uma menina de onze anos de idade que tinha muito medo de falar pra qualquer adulto porque a escola não acreditava nos alunos, e as outras pessoas da sala também sabiam que não ia adiantar. Na última aula do ano, os professores deixaram a sala livre pra fazer piquenique na quadra. A gente pegou uma daquelas mesas grandes da cantina e quatro bancos da cantina também. Fizemos piquenique com a professora de história nas duas primeiras aulas. A terceira era dele. Ele sentou no meio de duas amigas minhas. Eu lembro que enquanto a gente conversava ele nos olhava de um jeito que me dá vontade de vomitar. Ele tentava em todos os momentos encostar na coxa de uma amiga minha que ia pro lado toda vez, até que ela se cansou e foi sentar em outro lugar. Isso foi uma grande coisa pra gente. A gente tinha se esquecido da história da menina de onze anos e deu graças a Deus que era o último dia que a gente ia ter que aguentar a cara de pai da família dinossauro que aquele bosta tinha, e as vezes que ele aparecia com o zíper aberto na sala. Semana passada eu comecei a lembrar de tudo isso, e lembrei de muita coisa que aconteceu na escola desde o sexto ano que eu não tinha parado pra pensar antes. Esse mesmo professor de matemática um dia viu a gente fazendo uns estojinhos de bichinho que a minha amiga tinha dançar, viu a gente fazendo isso, e disse: "Haha, olha a imaturidade dessas três! Olha o que elas tão fazendo!" e colocou um bichinho encima do outro. Ele sabia que a gente não tava fazendo isso. No sétimo ano um professor substituto que já tinha uns 70 anos começou a falar que todo mundo na sala eram brotos e começou a fazer piadas sexuais. Um professor de história sempre fazia questão de deixar claro quando ele aparecia sem a aliança dele na aula, e já fez piadinha com um modelo do sistema digestivo, no caso ele disse que ia tirar uma foto e guardar pra mais tarde. Tantos professores já fizeram piada com as meninas da minha sala que gostavam de funk... Isso que a minha antiga escola era a que tinha melhor estrutura daquela região da cidade. Fora as coisas que aconteceram fora da escola. Todo dia um velho ficava na porta da escola literalmente só pra observar a gente. Eu achava que ele ia buscar alguém, mas um dia a minha amiga foi seguida por ele, graças a Deus ela chegou em casa antes que ele fizesse algo. Uma vez eu e minha amiga fomos perseguidas por um carro preto fora da escola e tivemos que correr pra casa. Quando ela tinha oito anos ofereceram dinheiro pra ela. Isso tudo eu presenciei, ouvi, e quando não foi comigo eu senti como se fosse. E o que a minha escola fez por essas meninas? Quantos professores assim foram afastados? Quantas não tiveram coragem de contar? Não só pelo fato de nós sermos mulheres, pelo fato de sermos novas, é difícil que um diretor ou qualquer autoridade de vários lugares acredite, ou simplesmente ligue pra gente. Esse bagulho é gigantesco, acontece em tanto lugar, e do mesmo jeito parece que tudo passa batido.
submitted by ainteatingacentipede to desabafos [link] [comments]


2020.10.30 04:29 Guitar_Fit ❗️Mano estou muito deprimido pq broxei alguém por favor me ajuda❗️❗️Alguém já passou por isso pode me ajudar ❗️❗️Pfv like pq preciso de ajuda

Fazia um bom tempo que eu estava atrás dessa menina,ela é minha amiga de faculdade e de certo modo as vezes ela me deixava irritado,as vezes sentia que ela era o tipo de pessoa que adorava se aproximar de outras pessoas simplesmente por interesse até em questão de namoro,ela sempre ficava com os mais ricos e no primeiro dia que eu chamei ela para ir ao cinema ela queria que eu pagasse tudo(mas isso é outro assunto então não foquem nisso) De lá para cá eu as vezes dava em cima dela mas normalmente ela sempre esquivava,contudo ela sempre aproveitava a chance para falar dos caras que ela ficava para mim e isso era chatoooo pra caralho,os caras só chegavam nela e ela ficava com eles de boa mas quando era comigo era sempre alguma coisa,eu sentia que as vezes ela não me via como um homem realmente é as vezes ela me via apenas como um cara que vai escutar tudo dela. Durante essa pandemia bem no começo do nada ela começou a me dar mais moral,com isso o clima tinha esquentado e as vezes trocávamos nuds,mas tu acredita que mesmo nesse momento ela falava de outro macho para mim ? Era tipo assim a situação eu chamava ela para vim aqui aí ela dizia que não podia pq estava ocupada ou que a mãe dela não deixava ela sair,no dia depois ela estava lá na praia,outro dia ela falou que se o cara não chamar ela para a casa dela ela iria correndo para lá (cara fiquei muito puto pq eu estava chamando ela faz tempo e ela nada!) por fim taquei o foda-se nessa menina. Aqui vem a parte do nosso sexo Nessa segunda feira ela estava de mudança,um local bem perto da minha casa aí ela tinha me dito que estava sem internet e que tinha que fazer um trabalho,ela perguntou para mim se poderia vim aqui em casa fazer o trabalho (eu não sei como mas eu pressentia que iríamos ficar),falei que sim podia que ela iria fazer o trabalho no meu notebook. Chegou a hora ela fazia as questões,papo vai e papo vem não me lembro como mas eu perguntei se podíamos nos beijar,de primeira ela negou mas aí na hora tacamos um beijo forte,o clima estava esquentando e aí eu peguei nos peitos dela e o clima esquentou mais ainda,como minha mãe estava em casa então não podíamos fazer muito barulho então eu dei um chupão na buceta dela. Terminou a situação continuamos o trabalho e ela queria transar mas só que tinha que ser muito rápido,o problema era que eu estava já a foi dois dias sem me mastubar e normalmente sem me mastubar eu gozo rápido,com isso ela falou “kkkkkkkk ria tanto do cara dos dez minutos mas agora tá aí” de certa forma eu me senti desafiado e fui dar em cima dela,com isso eu lá chupando ela e nada do meu pau ficar duro ;no momento que ele ficou duro eu pedi para ela chupar mas ela ficou enrolando e não chupou (isso daí já tinha abaixado um pouco meu tesão) com isso eu fui buscar a camisinha e odeio ter que tirar a camisinha da embalagem pq fico nervoso e me tremo mas tava tirando e com isso eu vi como ela estava me olhando e eu fiquei com menos vontade ainda. Falei para ela que não dava pq estava sem vontade e aí ela ficou puta de raiva,o bom é que eu ri da situação e o clima ficou menos constrangedor,rimos um pouco da situação e eu falei “acho melhor não tentarmos de novo” aí ela falou “valha Anon agora eu tô me sentindo mal,era para eu estar com raiva,foi tão ruim assim” falei que não mas que de certa forma eu só queria ficar mesmo com ela por orgulho mesmo pq me sentia comparado aos outros homens. Por fim deixei ela na parada e conversamos no Instagram aí ela me disse que ficou pensando se a culpa era dela,perguntou se a parte de baixo estava fedorenta e algo do tipo mas aí eu falei que não e falei que existe outros motivos do pq eu não estava muito excitado. De certa forma eu limpei um pouco a barra e rimos um pouco,mas desde dia eu tô passando por uma depressão fundida,um medo que eu fique broxa na próxima vez e um medo fudido de ficar ansioso de novo,eu já transei com duas mulheres e na última transa que tive com a última meu pau ficou meio duro e meio mole;nesse de agora não senti tesão e não fiquei duro e tenho medo que na próxima aconteça a mesma coisa. O pior é que tenho medo que ela espalhe esse assunto de mim,combinamos que não iríamos falar para ninguém ela que pediu para mim pq no dia ela não tinha se depilado e ela fica com medo que ela estava fedorenta no dia.
submitted by Guitar_Fit to sexualidade [link] [comments]


2020.10.28 00:47 lauraahuman Eu odeio minha avó

Desde que eu era criança, eu nasci em uma camada bastante privilegiada da sociedade e dentro de uma igreja,que, particularmente eu não me identifico, então basicamente a família sempre foi a coisa mais importante e valorizada pelo ambiente no qual eu cresci. Meus pais nasceram em cidades muito pequenas e vieram pra uma “cidade grande” tentar a vida, e se hoje eu tive uma educação de qualidade e uma vida extremamente confortável, eu devo tudo para eles, que sempre me ensinaram o valor da educação e que o dinheiro não nascia em árvore. Eu sou filha única e como o resto da minha família mora longe, nós sempre fomos só nós 3 e mais ninguém. Minha mãe nasceu em uma casa extremamente abusiva, a mãe dela batia e torturava psicologicamente os filhos em um nível que, minha mãe era uma criança com sobrepeso, e uma vez, minha avó a levou para comprar um sapato, um sapato branco não cabia no pé da minha mãe e a minha avó esmurrou tanto os pés da minha mãe que ficaram tão machucados que até hoje ela não usa sapatos brancos. Ela realmente faz questão de deixar claro que não se importa com os filhos, e sim com os irmãos dela, ela chegou a falar que os filhos estão ali apenas para servi-la. Quando meu tio era mais jovem, ele acabou engravidando uma moça e minha avó acabou por se responsabilizar pela menina e adivinhem? Ela trata essa neta como a mais especial do mundo, enquanto os filhos e o resto dos netos são tratados com desdém. Não me leve a mal, eu gosto muito dessa prima e ela é bastante esforçada e bastante gentil, mas minha avó é capaz de tirar algo de mim para favorecer ela. Como toda criança, eu queria uma avó que se apegasse à mim, e que fosse amável, como tantas avós que eu vejo na internet, mas ela nunca mostrou nenhum sentimento de afeto, nunca me deu um presente bom, sempre me dava uma roupa com a etiqueta escrito “15 reais” sendo que ela tem condições de me ter dado algo melhor. Você deve pensar que se ela age assim com os filhos, com os genros deve ser pior. Bem, parte disso é verdade. Meu pai é o favorito dela, ela sempre compra coisas que ele gosta de comer quando vamos visitá-la, e sempre diz que ele é como um filho pra ela, mas meu pai é o cara mais tranquilo que eu já conheci, e ele basicamente escuta tudo o que ela fala de ruim sobre todo mundo e apenas ignora e diz “Sim, verdade, poxa que pena”, mas com os outros genros não é assim: minha tia fugiu de casa para casar com um homem não muito legal, e quando a filha mais velha deles, com oito anos, morreu de leucemia, ela não fez questão de ir ao funeral, e ano passado, quando o marido dela morreu, ela nem ao menos fez uma ligação para consolá-la. Já com o meu tio, ela fez de tudo pra ele se divorciar de sua esposa, e mesmo depois de ter conseguido isso, ela ainda inferniza a vida da mulher que já está casada com outro filho. Além do mais, eu, tenho muitas opiniões políticas e religiosas que divergem com ela, digamos que ela basicamente acredita no facebook, e qualquer coisa que ela vê lá, ela toma como verdade, ela é facilmente influenciada por religiosos que se colocam como deuses. Ela nunca vinha nos visitar, ela veio uma vez no meu aniversário de 6 anos e foi embora no dia seguinte. Ela se propôs a cuidar da minha bisavó com alzheimer e maltratava ela, ignorava o que ela ouvia, gritava com ela, e colocava ela pra tomar banhos quentes no verão. Meus pais dizem que eu deveria aprender a conviver com ela, mas francamente, eu não vejo ela como alguém da minha família, não tenho carinho ou laços com ela, não sinto nada além de indiferença, e realmente ela sempre englobou TUDO o que eu odeio em uma pessoa: alienação, narcisismo, traços abusivos, seletividade e imparcialidade. E eu não vejo ela como minha avó, ela nunca se dispôs a cuidar de mim, e deixou minha mãe sozinha cuidando de mim enquanto meu pai ia trabalhar, e ela não vinha porque ela simplesmente NÃO QUERIA, não era falta de tempo nem de dinheiro, ela simplesmente nunca se importou. Meus pais querem chamar ela pra passar três dias em casa, e eu disse que não vou fazer questão de rebater as ideias mirabolantes que ela acredita, e que se ela nos desrespeitar, eu não vou tolerar, pois ela está dentro da nossa casa, a casa que a gente levou 1 ano e meio para construir, do jeito que a gente quis e que meus pais trabalharam tanto pra que ficasse a casa mais perfeita, e eu não quero ela aqui dentro pra ficar desdenhando do que meus pais batalharam pra conseguir, porque as pessoas que ela ama e protegem não podem ter.
submitted by lauraahuman to desabafos [link] [comments]


2020.10.26 22:14 avisaosocrates fui babaca por querer me afastar da minha prima?

Minha história é de longa data e preciso citar todos os acontecimentos para que vocês me ajudem. Desde criança nunca fui uma garota com muitos amigos, estudei a vida inteira em escola pequena então tinha apenas algumas amigas na minha sala e minha prima. Meus tios nunca gostaram muito de mim, eu ia na casa deles e quase sempre gritavam comigo por algo que minha prima tinha feito, afirmando que eu estava “influenciando” ela a fazer algo errado, claro que eu contava isso para minha mãe assim que chegava em casa, mas ela não queria provocar uma briga na família, afinal meu tio é um homem difícil de lidar. Prestem atenção nessa parte: meu pai alugou uma casa para passarmos as férias na praia, e por consideração ele chamou meus tios e minha prima para passar alguns dias conosco, pagou todos os almoços e jantares e o aluguel da casa para eles quase o verão todo. Quando acordamos num dia, fomos para a praia, e eu, uma criança um tanto gulosa, fiquei com fome. Minha prima comprou um pratinho de milho, e minha tia falou: “não oferece para ela, ela vai comer tudo”, e minha mãe ouviu, ficou muito ofendida e se distanciou deles por um tempo, mas depois, sem aquele convívio todo, a situação voltou ao normal. Depois desse, tiveram mais vários outros acontecimentos, um onde minha tia falou que eu era safada, mesmo tendo apenas 8 anos, por entregar um desenho pra um garoto (que por sinal, era muitos anos mais velho que eu). Depois disso me afastei, não ia mais na casa deles, minha prima não vinha mais na minha, e ficou assim por alguns anos. Ano passado, um primo meu me apresentou uma menina em um churrasco (vamos chama-la de Juliana), viramos muito amigas e minha prima entrou nessa amizade junto, nós três começamos a sair todo final de semana, mas eu sempre tinha aquele pé atrás com minha prima, porém algo me dizia que por eu ter crescido, não teriam mais brigas ou acusações. Um dia, minha prima chamou eu e a Juliana para irmos à sua casa, e nós fomos, era feriado na terça então teríamos 5 dias para ficarmos juntas, e estava tudo indo bem, mas as coisas começaram a desandar. Eu e a Juliana ouvimos a primeira bronca por comer jabuticaba na sala, não sujamos nada, mas meu tio ficou nervoso pois não queria que sujássemos o sofá novo, então fomos para a cozinha, até aí tudo bem. Porém, na segunda-feira de manhã, minha prima pediu para postarmos uma foto dela na sua rede social quando ela não estivesse vendo, pois tinha vergonha de postar, e eu e Juliana esperamos então minha prima ir tomar banho, e pegamos o celular dela, que tinha senha. Corri para meu priminho e perguntamos a senha, ele passou e nós conseguimos desbloquear o celular, mas minha tia chegou correndo no quarto e arrancou o celular da minha mão, começou a gritar e falar que as coisas na casa dela não eram assim, que nós não podíamos ser intrometidas a ponto de pegar o celular dos outros e que a postagem que iríamos fazer, poderia destruir a imagem dela e da família dela para todos. A mulher perguntou um milhão de vezes sobre o post, mas não tínhamos postado porque não deu tempo, mas ela não acreditou na gente e nos chamou de mentirosa. A Juliana tentou explicar que a minha prima que pediu, mas minha tia não acreditou e continuou gritando coisas como “minha casa tem regras”, “vocês são intrometidas” e “sua prima é uma idiota por ter deixado o celular dela aqui com vocês!”, eu e Juliana entramos em desespero e quando ela saiu com o celular, esperamos minha prima sair do banho, quando ela o fez, explicamos tudo o que tinha acontecido pra ela, e ela foi falar com os pais, e quando ela voltou, disse que não poderíamos ser mais amigas, ela também explicou a versão da minha tia da história, que acreditou que iríamos postar algo ruim, mas não, o pior de tudo, é que minha prima confirmou tudo, e não defendeu a gente, e negou que pediu para postarmos a foto, no dia seguinte de manhã fomos embora chateadas, mas eu estava com raiva. Esse final de semana chamei apenas a Juliana para vir aqui em casa, e é a primeira vez que nos vemos desde a história do post, então colocamos o papo em dia e eu comentei que não quero mais ter contato com a minha prima, e ela disse o mesmo. Postamos foto, e minha prima descobriu, mandou mensagem no nosso grupo que já está inativo desde a bronca, e minha mãe disse que eu errei em não chama-la, que eu deveria deixar essa história de canto e chamar ela para vir em casa, eu expliquei que não quero mais manter contato com ela e nem com meus tios, pois foi uma vida inteira tentando a amizade dela e sempre ouvindo bronca mas nunca sendo defendida, mas minha mãe se irritou e disse que não concordava comigo. Eu sei que minha prima é fruto da criação que vive, mas eu não quero estar acompanhada de uma garota que não age como minha amiga, mas o que vocês acham? Acham que eu fui a babaca e devo deixar pra lá essa história e chamar ela pra vir aqui com a Juliana no próximo final de semana? Ou acham que eu não fui a babaca e devo me afastar e viver a minha vida sem ela como amiga? Me ajudem, por favor!!!
Inclusive, obrigada por ler até aqui!! Preciso muito de um conselho imparcial.
submitted by avisaosocrates to EuSouOBabaca [link] [comments]


2020.10.26 20:51 WorkerCurrent Fui babaca??

Oi pessoal quero saber opinião de vocês sobre a seguinte situação bom Conheci um menino ano passado na qual eu fiquei perdidamente apaixonada começamos a conversar conversa vai conversa vem acabamos ficando(sou evangélica e hj sei que errei muito nessa parte e me arrependo até hj) isso durou bastante tempo cerca de um ano Mesmo ele sendo totalmente babaca comigo Eu ainda fiquei com ele só que do nada ele começou a ficar estranho, nos crentes temos um evento chamado Retiro no qual nos retiramos da nossa cidade para ficar longe do carnaval Então nesse Retiro Ele apareceu com outra sendo que nem tinha me falado nada sobre a gente na minha mente a gente ainda estava junto mesmo nunca estando juntos então ele apareceu com essa menina e eu fiquei desnorteada nunca me senti tão ruim a minha vida( uma parte que eu esqueci de contar na primeira vez que ficamos ele tinha dito para um amigo dele que só me pegou e não queria mais nada mesmo depois disso tudo eu ainda fiquei com ele várias e várias vezes) depois do Retiro ele me bloqueou até no pensamento e ficou dias sem falar comigo e depois voltou como se nada tivesse acontecido E eu simplesmente aceitei viramos amigos porém a nossa amizade era muito forte e eu acho que ele percebeu isso e isso está me atrapalhando relacionamento dele( sim os dois namoram e hoje em dia tem seis meses de namoro) então ele simplesmente me bloqueou de novo me deixando desnorteada mais uma vez e depois vem me pedir desculpas e eu aceitei segui minha vida normalmente porém entrou outra pessoa nessa história, mesmo em tudo isso era nos do mesmo ministério só que em igrejas diferentes mas Deus tocou meu coração para ir para mesma igreja dele não por causa dele nem nada mas porque lá estava precisando de gente então eu fui no fundo no fundo sabendo que enfrentar poucas e boas naquele lugar mas nunca renegando O Chamado de Deus quando cheguei lá tinha uma menina que parecia ser muito legal Vamos chamar ela de Ana eu sempre tinha achado ela bem legal porque sempre tive contato com as pessoas da igreja dele por por sermos do mesmo ministério e ela parecia alguém com quem eu queria ter uma amizade então começamos uma amizade ( ressaltando que a nossa primeira conversa foi sobre ele) e na nossa amizade a nossa principal conversa era sobre ele e a namorada dele ( sinceramente acho que nunca falei mal deles, para mim falar mal é tipo" a fulana é falsa ou a Fulano toca mal canta mal" conversávamos sim sobre eles porém nunca falei mal) o que eu disse que a gente conversava era tipo " não concordo com esse relacionamento" porém eu tenho uma pessoa que eu considero minha mãe e consequentemente essa amiga minha que eu considero mãe é muito amiga dele e ele contou para ela que a Ana falou para ele que eu estava falando mal dele para ela me chamou de falsa e disse que não me aguentava mais ouviu falar dele sendo que quem começava os assuntos era ela ( não querendo tirar meu copo fora da situação mas era ela mesmo) depois que eu fiquei sabendo disso fiquei arrasada Eu devia ter percebido porque ela sempre contava os segredos dele para mim quem diria que ela contou os meus para ele conversei com ela sendo bastante madura e dizendo que não confiava nela que ela demonstrou ser uma pessoa horrível não falei nada do que ela merecia por mais que ela merecesse um tapa no meio da fuça dela então ficou um clima bem chato na igreja ( Eu imagino que ela tenha feito isso porque gosta dele e queria ver eu bem longe dele caso ele termine com a namorada ela teria mais chances Esse é meu ponto de ver) então eu resolvi pedir desculpa por ter falado dele ( eu pedi desculpa por ter falado dele não falado do mal dele) então ele foi seco e disse que me desculpava( sinceramente depois de tudo que ele fez era um mínimo para eu fazer era meu mecanismo de defesa Mesmo não tendo falado mal dele era o mínimo que eu podia ter feito mas foi maduro suficiente para pedir desculpa por ter falado dele e eu sei que diante o meu Deus eu não tenho mais culpa) bom achei que estava tudo resolvido só que ele mandou mensagem falando para minha amiga que eu deveria pedir desculpa para a namorada dele sinceramente achei uma afronta eu pedi desculpa para ele para as coisas se resolverem porque estamos no mesmo ministério e eu não queria que ficasse clima chato pois temos que trabalhar juntos e ele vem com essa de tem que pedir desculpa para namorada dele sinceramente uma babaquice as minhas amigas querem porque querem juntar eu a Ana e ele para conversar mas sinceramente cansei dessa história dei importância demais para isso já cansei de ele ser babaca comigo Na minha opinião não precisava ter pedir desculpa para ele mas meu senso falou mais alto porque um erro não justifica o outro mas não quero mais saber nada dessa história quero colocar um ponto final( ele colocou na cabeça dele e cismou que eu realmente falei mal dele porém não falei eu falei dele porém não falei mal e e ele disse que eu sou mentirosa pois eu disse para as minhas amigas que não tinha falado mal sinceramente o que mais me deixou irritada foi isso podem duvidar o que for de mim mas não duvide da minha amizade com as minhas amigas principalmente com elas eu não aceito isso ele não procurou saber o meu lado da história e tomou sua decisão em acreditar que eu realmente falei mal dele não vou me esforçar para fazer ele mudar de ideia estou cansada de toda essa situação só quero que tudo pare)estou passando por um momento difícil na minha vida e não tenho tenho pra infantilidade
Fui babaca? Não fui babaca? Não existem babacas? Todo mundo foi babaca? Info?
submitted by WorkerCurrent to EuSouOBabaca [link] [comments]


2020.10.18 05:00 PetterGold776 3 Anos vivendo com um amigo tóxico

Eu sou um cara bem novo, que nunca teve muitas amizades e passou por tudo isso despercebido, Eu fiquei por 3 anos sendo amigo de uma pessoa tóxica.
Gostaria de informar aqui depois de escrever tudo, que o texto é extremamente longo e algumas partes podem ser demoradas e chatas, não te culpo caso queira pular para o TL;DR do final aonde é uma versão mais resumida.
Eu gosto de ser elogiado e quero que outras pessoas sintam o mesmo, portanto eu elogio um amigo meu quando ele faz algo que ele considere importante e gosto de sentir que ele está feliz por causa do meu elogio, só que por 3 anos eu conversava e me importava com esse tal amigo (vamo chamar ele de V) que nunca se importou de verdade comigo ou coisa do tipo, eu só servia para fazer ele rir e um saco de pancadas emocional, não importava o que, se eu perdia em algo ele praticamente ria de mim, se eu vencia em algo eu nunca ganhava o mínimo de reconhecimento, e se eu era melhor que ele ficava irritado e me chingava, e se eu o elogiava ele só ficava se exibindo mais e mais como uma forma de ganhar atenção, ele praticamente me fazia me sentir errado em tudo.
Por que eu não larguei ele ou eu percebi que ele era um escroto comigo? Porque eu não sabia de mais ninguém que eu conseguisse fazer rir tão facilmente, eu por ser uma pessoa que basicamente se importava mais com a felicidade momentânea dos outros mais do que a minha própria felicidade, e por não saber o que era uma amizade normal ou o que era uma amizade tóxica eu achava que eu tava vivendo no paraíso. Eu sempre via outras pessoas como youtubers com amizades perfeitas, mas na minha cabeça eu não dava muita bola e pensava que eles também sofriam da mesma coisa, eu ignorava quando esse pensamento via a tona.
Por 3 anos, praticamente todo o dia era o mesmo, era tentar fazer ele rir e no final do dia sair estressado por causa de briga, coisa que ele conseguia ignorar em 4 segundos, por que esse era o objetivo dele, era me fazer ficar estressado! Eu por me preucupar demais com a felicidade dos outros, acabava que eu fico extremamente ansioso e estressado quando eu ferro com alguma coisa ou faço com que alguém fique irritado. Eu cheguei a ter que falar comigo mesmo por uns 3 ou 5 mêses durante uma depressão, porque eu era a única pessoa que eu conseguia falar sem me estressar e rir sem peso na consiência. Essa depressão ocorreu por causa que eu ferrei com a oportunidade de sair com uma menina que eu gostava, que também gostava de mim, e não somente ela saiu com um cara umas 3 ou 4 semanas depois, como eu não podia contar pra esse meu amigo por que ele iria rir da minha cara, e depois de 1 ou 2 anos, quando eu finalmente contei sobre essa história pra ele adivinha o que aconteceu? Pois é.
Uma das piores coisas é que eu tinha um outro amigo (chamar ele de C) que também era envolvido com esse V, e que eu infelizmente descontava uma parte do estresse nele, já que não tinha outra válvula de escape pra mim. Eu óbviamente não estava certo e é uma coisa que vai me marcar (não no bom sentido) por um bom tempo, mais pra frente eu me toquei do que eu fazia depois de zoar e muito com a cara dele, chegava ao ponto em que eu não conseguia ter uma hora de paz só de lembrar do que eu tinha feito. Hoje em dia eu faço de tudo pra tentar me desculpar de alguma forma, mesmo ele falando que não se importa.
Um rápido resumão aqui por que já ta ficando muito longo, ele me apresentou um outro cara (vamos chamar de G, relaxa eu ainda vou usar esses nomes) que realmente me tratava como um ser humano e não como um senhor de engenho pra um de seus escravos. E que pra mim foi algo muito diferente, como assim alguém que tem conversa com outra pessoa e ouve ela, sem o puro objetivo de ignorar o que ela tem pra falar só pra reduzir ela e esperar um elogio??
Logo toda aquela gritaria e pressão foi demais e eu resolvi parar de jogar com eles, pois eu me sentia entediado de tudo, não somente por que jogavamos o mesmo jogo todo o dia, mas porque do que adianta fazer algo sendo que eu sempre vou ser um lixo?
Tudo isso foi exclarecido quando a gente jogava um RPG, uma exessão que eu fazia entre os jogos que nós jogavamos, pois ainda não tinha toda a graça removida 100% por causa do V. Esse RPG tinha mais outras duas pessoas que eu não conhecia muito bem, e uma delas falou brevemente sobre um RPG que o Cellbit tava fazendo. Eu na época sem mais nada pra fazer resolvi ver, e comecei a me questionar mais e mais sobre "...eu realmente tenho um amigo, ou uma pessoa que me quer morto?", eu entendi finalmente, que todas aquelas pessoas a minha volta, por mais chato que eu seja, gostavam dos meus elogios, e me elogiavam quando elas podiam, TODAS menos o V, esse ai aqueria era que eu fracassasse mais e mais só pra rir de mim.
Mesmo que ninguèm ali se importava ou me conhecia muito bem, eu sentia querido de alguma forma e quis mudar pra melhor, to tentando ao máximo fazer cada um deles uma pessoa especial e estou tentando agradecer o máximo que eu consigo.
No dia do meu aniversário, eu quis aproveitar e jogar com o G e somente o G. Um tempão depois do jogo, tipo 1 ou 2 horas, o V começou a me chingar só que dessa vez ELE era o estressado, perguntei pro G o que ouve e por que do V estar me chingando tão frenéticamente do nada, e G me explicou que era por que eu tinha jogado sozinho com G, e dai quando o G estava falando sobre isso para o V, o V questionou sobre o por que G ou eu não convidar ele e a resposta do G foi "hora, porque você é chato.", e SOMENTE ESTAS PALAVRAS foram o suficente para o V ficar de birra e tentar me confrontar. Ele falava algo como "O PoRqUE VocÊ nÃo me ConVIDa ParA aLgO Que vOCê SaBE que eu GoStO?!", eu usei o argumento de "então porque vocês não me convidam e falam em call por privado?", e ele me respondeu com um "PorQUe VoCÊ é ChaTO !".
Por mais que eu achasse errado, eu me sentia feliz por finalmente conseguir pelo menos fazer ele sentir uma pequena doze de todo o estresse que ele tacou na minhas costas por 3 anos sem erguer um dedo sequer na direção dele, mesmo eu sabendo que estava correto não quis continuar, por que era capaz de ele espalhar coisa destorcida para as outras pessoas que REALMENTE importam, então eu só falei um "desculpa", pra ele pelo menos achar que eu me sinto errado.
Eu não sei se G estava falando a verdade ou só foi uma resposta pro V calar a boca, mas se ele também acha o V chato, pode ser um passo e tanto. Eu não quero colocar niguém como o C ou as outras pessoas do nosso antigo RPG no meio dessa minha treta toda, e acabo tendo medo de estragar minhas amizades com eles por ser muito chato e não jogar praticamente nada, ou por eu dar ficar de saco cheio do V e por eles serem amigos do V por mais tempo, achar por estinto que ele é o coitadinho, pelo o que eu vi, até agora eu sou o único saco de pancada emocional dele, mas se esse cara tentar mecher com o C ou com o G eu vou defender eles com unhas e dentes, por que é o mínimo que eu posso fazer.
Eu acho que gosto de uma menina que o V, la no passado disse que eu me daria muito bem, nós nos conhecemos brevemente pelo RPG e nós nos conversamos as vezes nas raras ligações que eu faço no grupo até hoje. Tenho medo de estragar com uma futura amizade já que somos somente conhecidos ou até mesmo do karma, mesmo já tendo passado por algo mil vezes pior do que seria a resposta do mesmo.

TL;DR: Vivi com um amigo tóxico do meu lado por 3 anos que me tratava como um saco de pancadas emocional, e depois de tanto tempo eu finalmente percebo no que ele me tornou e o modo que ele me tratava, e estou tentando consertar todas as besteiras que eu fiz enquanto estou caminhando num campo minado, aonde posso perder todas as futuras amizades em potencial que tenho se fizer qualquer besteira relacionada a elas, e aonde eu não posso esperar por muito tempo pois posso perder contato.
submitted by PetterGold776 to desabafos [link] [comments]


2020.10.16 03:57 apenas_mais-um Garota vácuo de validação ou traumatizada?

Seguinte.
Fiquei com uma menina durante dois meses. Conheci ela do lado de casa por intermédio de uma amiga. Eu lá todo feliz ficando com algumas meninas sem compromisso e todo mundo feliz. Ai essa amiga me diz que ela se interessou em mim e passou o telefone dela. Mandei uma msg na sexta e conversamos, mascamos de nos ver em casa no sábado. Conversamos, tomamos uma vodka e ficamos. Transamos maravilhosamente. Demorou 5 dias e ela nada, fui e mandei msg perguntando de um segundo encontro, e ela so mandou msg falando kkkkk.... tentei de novo e ela falou que quem tinha que chamar pro segundo encontro era eu (oiiiii? eu ja tinha chamado) enfim. ficamos e ficamos mais ai ela começou a me chamar pra sair com os amigos e amigas dela. Conheci todos e com o tempo eles me falaram, ela gosta de vc. E eu falava, ela não gosta, ela gosta da sensação que eu proporciono a ela, pq só eu e ela ela nao me da brecha nenhuma e é só sexo. Eu me apaixonei por ela como não acharia que me apaixonaria de novo por alguém. Falei isso pra ela. Continuamos ficando. Eu mandava bom dia pra ela e era romantico e ela me falava que nao gostava de bom dia. Até ai tudo bem, cada um tem seu jeito de ser. E eu encucando cada vez mais que a guria não queria nada comigo. Ai a melhor amiga dela me fala, vc sabia que ela namorou por 10 anos e terminou recentemente? E eu falei, não sabia. E vc sabia que ela tava ficando com um cara e esse cara queria namorar e ela nao queria e ai ele pressionou ela e ela nao quis e ele apareceu com uma outra menina grávida? Cara, imagina que role foda pra mina. Mas enfim, eu não tenho nada o que ver com isso. Sempre tratei ela como a última bolacha do pacote, foi amor de vdd manja, eu nem sei explicar como eu olhava todo bobo pra ela e ela virava pra mim e falava, o que foi? Na última sexta feira era aniversário dessa amiga dela, fomos no lugar, e eu lá normal, desencanadão, e o melhor amigo dela vem me falar, mano, ela foi em casa hj e me falou uma frase como vc sendo o namorado dela, ela gosta de vc blábláblá....e eu falando, ela nao gosta de mim... e ele, vc tem que falar com ela ... pelo menos perguntar se ela ve um futuro de vcs juntos ou alguma coisa, pq ela gosta de vc1!. Ele é homosessual, virou meu brother, e eu confiei nele... passei por cima de todos os meus instintos e falei, blz, vou falar com ela... a noite eu e ela viemos pra casa e eu sentei na frente dela no sofa pra conversar, ela ja foi rancando a roupa e indo pra cama.... eu pensei...não vou transar sem tirar isso da cabeça.... ai fui e falei, que estava realmente gostando dela e que não queria nada do tipo namoro, mas gostaria de saber se ela enxergava um futuro com nós dois juntos, pq eu estava tendo reais sentimentos por ela. A mina não falou nada virou de lado e falou.... Eu preciso ir embora. Gente, meu mundo caiu, e eu que não sabia o que era chorar chorei segurando o soluço..... foram meia hora de uma tortura muito doida..... a mina não falou mais nada.... ai ela falou de novo, eu preciso ir embora, e eu falei, tudo bem, se é isso que vc quer eu abro o portão lá pra ti. Fui lá e abri o portão ela parou e falou nossa, tá frio né...e veio me beijar, coisa que ela nunca fez, e me beijou meia boca...... isso foi na sexta, desde lá não nos falamos mais. Eu não sei o que pensar disso tudo, vejo os tópicos aqui e não vejo nada além da galera falando procura psicólogo blablabla segue a vida blablabla... Alguém consegue entender o que rolou e como agir?
submitted by apenas_mais-um to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 12:19 DonaBruxa_Deyse Sobrenatural-Verídico

Preciso dividir isso com vocês! Relato de uma consulente que me procurou desesperada por ajuda espiritual. E irmãos de fé, me ajudem porque nunca lidei com isso não!
Eu ouvi todo o relato. Quanto mais ela contava, mais certeza eu tinha de que se tratava de SETEALEM!
Ela relatou que em maio, devido a pandemia e quarentena, sua família resolveu que seria melhor todos ficarem juntos no sítio dos pais dela, em Sorocaba. Disse que desde o momento que fazia a mala deles, uma sensação de que algo daria errado, pesava. Foi na gaveta do seu filho, que encontrou uma camiseta e um shorts que nunca, jamais vira antes. As roupas estavam sujas, eram velhas, encardidas e cheiravam mal. Nunca teve diarista em casa. Como poderiam aquelas roupas estarem ali? Perguntou pro pessoal e ninguém prestou atenção. Ninguém nunca presta. Naquele dia não estava a fim de começar a gritar tão cedo. Mas estavam todos estressados com os preparativos e ela sozinha pra fazer tudo, deixou pra lá! Enfiou as roupas numa sacola de mercado e deixou no chão, do lado da máquina de lavar na área de serviço. Ela, marido, a filha de 18 anos e seu filho de 5, saíram de São Paulo e seguiram pro interior. Durante a viagem, pra chegar no sítio, passam por uma estrada de terra. Seu filho de 5 anos disse algo que naquele momento não fez sentido algum: - Nem acredito, mãe, que estamos perto da casa do meu melhor amigo que ainda vou conhecer! Eles não deram atenção alguma pro menino. Minutos depois, ouviram um barulho como se tivessem passado por cima de algo na estrada e um dos pneus explodiu. O marido dela controlou o volante e estacionaram. Ele desceu e confirmou que o pneu tinha estourado. Ela pegou o celular pra avisar seus pais sobre o acontecido e que por isso atrasariam. Notou que não tinha sinal de rede em nenhum dos celulares. Não tinha no dela, não tinha no do marido, nem no da filha! Marido trocava o pneu e xingava porque ele nem queria ficar com a família dela! Nisso ela se virou pra trás porque percebeu que o menino estava acenando pro nada todo feliz! Sua filha começou a implicar com o irmão e disse: - Olha mãe, moleque doido! Começou já com as graças. Nisso o menino responde: - É o meu amigo! O amigo que vou conhecer. Olha mãe! Olhaaaa lá! Ela estava cansada, com fome, vontade de fazer xixi, sede e aquilo deixou ela mais puta ainda e nem se deu ao trabalho de responder os filhos. Pneu trocado, seguiram viagem na força do ódio. Uns quilômetros a frente, passaram por um posto de conveniência. Nunca vira esse posto antes. Não era a primeira vez que fazia aquele caminho. O sítio era da família desde que os avós dela casaram. Sua mãe nasceu ali. Ela foi criada ali e fez aquele caminho milhares de vezes desde bebê! Era um posto velho. Tão depredado que parecia estar desativado. Desativado se não fossem uns carros antigos também caindo aos pedaços estacionados em frente. Quem coleciona carro caindo aos pedaços?!?!? Comentou com o marido: - Meu amor, e esse posto que nunca vi na vida! Você viu?! O marido já exausto, responde: - Não prestei atenção! Mas se não viu antes é porque você é cega. Nem olha com essa cara porque você responde pra mim desse jeitinho sempre! Ela respirou fundo pra não começar uma briga ali... faltava tão pouco...perguntaria pro pai dela quando chegasse lá! E foi a primeira coisa que perguntou pro pai depois de abraçá-lo. O pai dela achou engraçado e respondeu que depois di galpão da firma tinha mais nada até chegar no sítio não. Tinha sim! Tinha porque ela viu! Mas também resolveu deixar pra lá esse assunto. A primeira semana foi uma maravilha! No final de semana seguinte, a irmã dela chegou com a família. A avó cozinha umas delícias. Os homens faziam churrasco e tomavam cerveja à vontade. O marido que não queria vir era o que mais aproveitada! A criançada brincava, pulava na piscina, corria livre, dormia e acordava tarde. Mas ela notava o filho dela meio aéreo, mais calado e não estava interagindo com os primos. Algumas vezes teve a impressão de ouvi-lo conversando/ cochichando com alguém mas quando se aproximava, ele se calava. Num sábado, resolveram fazer lasanha, mas faltava queijo, presunto, carne moída pro molho e extrato de tomate. Alguém teria que ir no mercado e pela primeira vez na vida, a filha dela se dispôs a buscar. A menina era habilitada há meses, dirigia por São Paulo, ia e voltava pra faculdade sozinha com o carro da minha cliente. E que perigo teria naquela estrada de terra, pouco ou nenhum movimento e ela iria até o supermercado mais próximo. O filho dela e os sobrinhos quiseram ir também e providenciaram suas máscaras e correram pro carro. Entregou uma nota de 100 reais pra sua filha fazer as compras. Ela me contou chorando que sua consciência pesa por ter pensado e falado pra irmã: - Graças a Deus, pelo menos por uma hora, teremos paz sem essas crianças gritando e correndo! A gente merece um pouco de silêncio sem filho gritando por mãe. A irmã dela riu e concordou.
Segundo ela, olhou no relógio na parede da cozinha, e faltava uns minutos pro meio dia.
O desespero estava pra começar!
Tinha passado uma hora desde a ida e nada dos sobrinhos e dos filhos voltarem. Resolveu ligar pro celular da filha e caia direto na caixa postal! Ligou dezenas de outras vezes e nada. Gritou o marido que estava na churrasqueira. Ele, o cunhado e o pai dela estavam bebendo desde às 8 da manhã. Quando ela relatou sua preocupação, eles não levaram a sério. Segundo os homens, as crianças logo estariam de volta...e foram beber mais. O coração dela apertou e lembrou do posto que vira na estrada, do filho acenando pro nada... não fazia sentindo, mas só pensava nisso. Tentou ligar mais vezes e como nada de atenderem, ela e a irmã pegaram outro carro e foram atrás dos filhos. De longe viram o carro que a filha dirigia encostado na estrada. Ela sentiu alívio por alguns segundos porque quando se aproximaram, o carro estava vazio. A irmã dela até aquele minuto parecia estar muito preocupada não. Porém, desceu do carro chorando. O carro estava parado sentido cidade ou seja, eles nem chegaram ao supermercado. Não tinha sinal deles! Sumiram! O celular não tinha rede, sem serviço e não tinha como pedir socorro ou ligar pra família. As pernas dela tremeram e caiu ajoelhada na terra rezando, pedindo a Deus por ajuda. Nessa hora, ela só lembrava que tinha sido ali que vira o posto de conveniência. Meio ao choro e grito contou pra irmã que vira o tal posto no caminho pro sítio. A irmã dela sem entender já gritou que nunca teve posto ali merda nenhuma. Minha cliente resolveu que iria encontrar o posto porque tinha merda de posto sim! O carro era da irmã dela que respondeu no gritou que não sairia de perto do carro, caso os filhos voltassem. Alguém tinha que avisar a família que estacavam em casa sem saber de nada! Entre gritos e mais choro, resolveram que a irmã voltaria pra avisar os outros e do sítio, ligaria pra polícia. Minha cliente esperaria no carro. Lógico que não conseguiu esperar e decidiu que procuraria por eles. Saiu com o carro que a filha dirigia. Dirigiu até o galpão da firma que tinha na estrada! Nada do posto. Fez o retorno, foi até o lugar que encontraram o carro abandonado e nada. Ela me contou soluçando que não era possível aquilo estar acontecendo. Desespero tinha atingido nível máximo! A irmã não voltava e a hora estava passando... e se ficasse noite?!?!? O que teria acontecido? Assalto? Sequestro? Nesse desespero fez o trecho até a firma, ida e volta, umas 5 vezes até cruzar com o carro da irmã. Vieram o marido, seu pai, cunhado e irmã. A avó ficou em casa, caso a polícia ou as crianças ligassem. Os homens bebados, ela e irmã histéricas! Ninguém se entendia. Depois de muita discussão quando tinham chegado à conclusão que o melhor era ir até a delegacia fazer um boletim, chega uma viatura com dois policiais. Ela tomou a frente e contou o ocorrido. Falou sobre ter visto por ali um posto de conveniência. Nessa hora os dois policiais se entreolharam. O marido dela emendou que ela era doida e que outra vez estava falando desse maldito posto. Um dos policiais, muito calmo contou que apesar de não existir nenhum posto naquele trecho, não era a primeira pessoa a relatar ter visto um. Sem contar muitos detalhes, falou que também não era a primeira, nem segunda vez que pessoas se perdiam e desapareciam naquela estrada! Os polícias pediram para que todos seguissem até a delegacia. Minha cliente e o marido, foram no carro encontrado na estrada e os outros, no carro da irmã. Na delegacia, um boletim de ocorrência foi feito. Mas todos os policiais ao ouvirem o relato, se entreolhavam de modo muito estranho. Só minha cliente notou. A polícia deveria esperar 24 horas após o desaparecimento pra iniciar as buscas! Um daqueles dois policiais que atenderam a ocorrência na estrada, disse baixinho pra minha cliente ficar calma que as crianças apareceriam. Porque todos tinham voltado de lá! Ainda na delegacia, ligavam de minuto a minuto pro sítio com esperança de receber boas notícias. Saíram da delegacia, por volta das 23 horas, ligaram mais uma vez pro sítio no caminho de volta. Nada! Ela e o marido não trocaram uma palavra...ambos choravam! Porém, ao estacionar o carro, ouviram as vozes das crianças e da avó. Ela sentiu um alívio e entrou na casa, agradecendo a Deus. Quando correu pra abraçar os filhos, paralisou. Impossível! Era impossível seu filho estar vestindo o shorts e a camiseta que ela tinha tirado da gaveta e deixado dentro de uma sacola deixada no chão da lavanderia, na sua casa em São Paulo! NÃO ERA POSSÍVEL!
Relato das crianças e da filha:
A filha contou que enquanto dirigia pro supermercado, viu o posto de conveniência, seu irmão, o filho da minha cliente de 5 anos, ao ver o tal lugar pediu pra parar ali! Ele pediu tanto, apelou usando “ por favorzinho” que convenceu a irmã a parar pra comprar tudo ali mesmo. O estacionamento da tal conveniência estava lotado de carros antigos. Seria melhor deixar o carro na estrada. Pensou que fosse um desses encontros de colecionadores de carros antigos. Nunca tinha visto nenhum daqueles modelos antes! A menina ainda relatou ter pensado em como alguém compraria ou colecionaria “uns trem” tão mal cuidado, caindo aos pedaços?!?!?!?!? Mas que só poderia ser coisa de”véi” mesmo. Entraram todos no estabelecimento e “bizarro” foi o termo usado ( pela filha dela) pra descrever o local e as pessoas! -Era um povo feio, tudo com pele amarela de doente, dentes podres, os homens e as sobrancelhas grossas e unidas... inclusive a de todas as mulheres! Até as crianças eram horrorosas... Crianças tinha fisionomia de velhas e sofridas! O lugar fedia! Fedia podre! Uma barulheira, todo mundo berrando, tocava uma música que ela não conseguia explicar. Era um ruído que estava grudado na cabeça dela. A música era um xiado fino, alto que dava a impressão de estar tocando dentro do corpo dela. A música machucava o seu pensamento. Era uma penumbra... uma luz que não iluminava e era difícil enxergar as coisas... ela tinha que forçar os olhos, piscar algumas vezes até distinguir os objetos ao redor. Objetos que nunca vira! Não dava pra imaginar a utilidade deles! Eram muitos corredores e prateleiras cheias de comida e coisas sem sentido! Enquanto se concentrava pra lembrar tudo que precisava comprar pra lasanha, a música dentro dela apagava as palavras. Ela fechou os olhos e forçou a memória... Talvez a força do seu pensar fez a música parar. Fez as pessoas pararam de gritar! Sentiu as maozinhas dos seus primos agarrarem sua mão e sua roupa. Ela sabia que estava chorando. Disse: - Mãeeeeee, fiquei com medo de abrir os olhos porque eu senti o peso daquele povo bizarro encarando a gente. Só abri porque ouvi um deles( referindo a um dos primos) dizer meu nome! Quando abri os olhos, meu irmão tinha desaparecido. Ele tinha sumidoooooo!!! Mãeeeeee, ele sumiu e não foi culpa minha... foi um segundo! As luzes começaram a piscar. Era uma luz sem cor, parecia que estávamos dentro de uma das fotografias daqueles binóculos da vovó! E as pessoas apontavam o dedo na nossa direção, gritando...eles gritavam sem mexer a boca: INTRUSOS, SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! VOCÊS NÃO PODEM FICAR AQUI, SAIAM DAQUI! Eu olhei pra uma senhora que estava bem próxima de nós e pedi ajuda. Contei que precisava comprar o que a mae nos pedira ... perguntei se ela tinha visto pra onde fora meu irmão. Mostrei o dinheiro! Ela riu!Quando ela abriu a boca sem nenhum dente, senti um bafo tão podre que o vômito quase saiu! Os primos estavam chorando, tremendo agarrados em mim! Comecei a chamar ele ( irmão/filho 5 anos)... e os bizarros, outra vez começaram : INTRUSOS, SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! VOCÊS NÃO PODEM FICAR AQUI, SAIAM DAQUI!
Eu não conseguia me mexer. Não dava pra andar!
E a música entrou em mim outra vez, mais alta e barulhenta! Minha cabeça doía e achei que desmaiaria. Nunca desmaiei... nas sabia que estava pra cair dura no chão! De repente, mas um de repente que pareceu horas, meu irmão aparece de mãos dadas com um bizarro tamanho criança. Ele veio dizendo que era o amigo que ele disse que conheceria aquele dia no carro no futuro. O bizarro chegou perto da gente dizendo que também me conhecia! Que já tinha falado que ( o filho de 5 anos) deveria fazer comigo o que (ele, bizarro!) tinha feito com a irmã dele! Eu puxei ele( apontou pro irmão) pra perto da gente! Mãe, ele não queria vir com a gente! Disse que ficaria com o amigo lá. Aí eu fiquei louca, fui arrastando todo mundo pra fora! O bizarro amigo dele, disse pra eu não falar alto porque “O ALGUEM”poderia acordar e pegar a gente pra ele! Eu mirei o rumo da porta, comecei a correr, as crianças também e o bizarro atrás da gente. Tinha escurecido. Era noite! Tinha neblina, um frio que esfriou meus ossos. Daí a gente correu muito! A gente corria e não chegava nunca até a estrada! Mas quando conseguimos, eu olhei, eu pisquei pra ver melhor e o carro tinha sumido. Sumidooooooo! O carro não estava mais lá! Sentamos no meio fio, meu irmão chorando porque queria voltar pra ficar com o amigo, os primos pedindo pela tia! Eles tremiam e batiam os dentes de frio! Entrei em pânico,porque como eu explicaria que perdi o carro, não comprei as coisas! Foi aí, que vi você mamãe, passar na nossa frente dirigindo nosso carro. Gritamos, corremos atrás de você, acenamos e você não olhou! Você não ouviu a gente gritar! Maeeeeee, você foi e voltou, foi e voltou, foi e voltou! Depois passou a tia em outro carro com o pai,o vovô e o tio! Mãe e tia, vocês nos ignoraram na beira da estrada. E aquela peste do moleque bizarro, de longe morrendo de rir da gente e gritando BEM FEITOOOOO! Como se não bastasse tudo isso, começou a ventar forte e a tempestade começou a cair. Ficou mais frio e a gente não conseguia respirar de tanta água que caia. A solução foi vir a pé, estrada escura, com chuva...Andamos até aqui!
OS SOBRINHOS:
-A gente ficou com muito medo! - Eu fiquei com tanto, tanto medo que fiz xixi na calça. -Eram monstros! - Eles queriam comer a gente! -Você não viu?!?!? Eles iriam picar a gente pra vender como carne moída! -Sera?!? E choraram muito. Ainda não conseguem dormir sozinhos em seus quartos. A luz tem que ficar acesa! Quando dormem, têm pesadelos e acordam aos berros!
O FILHO DE 5 ANOS:
-Mãe, foi legal. Sabia que meu amigo morava ali? Eu disse! Ele me visitava as vezes nos sonhos. Mesmo quando eu sonhava acordado e de dia! Hoje, a gente brincou de esconde-esconde e pega-pega!Fui na casa dele e comi comida lá! Sujei minha roupa de sangue e a mãe dele me emprestou essa. Essa roupa é do meu amiguinho! Ela falou que vai lavar a minha e depois trazer aqui pra você! Me convidaram pra ir lá outras vezes, passar as férias. Falei que pediria pra mamãe e pro meu papai! Foi super legal e meu amigo disse que já tinha me visto lá no futuro muitas vezes e que morarei com eles pra sempre! Pra sempre é muito tempo? Posso, mamãe? Deixa, por favorzinho?Por favorzinho? Eu convidei ele pra vir aqui amanhã brincar comigo, tá? Se você falar com a mãe dele, ela poderia deixar ele dormir aqui, né?!?!? Deixa, por favorzinho... diz que sim, mamãe!
Voltaram TODOS PRAS SUAS CASAS EM SÃO PAULO no dia seguinte, assim que o dia clareou. Os pais dela colocaram o sítio à venda e moram com ela, por enquanto. Minha cliente acredita que existe um lugar além. Ela tem certeza absoluta e provas disso! Está apavorada. Seu filho fala, brinca, canta, dá gargalhadas e afirma que o amigo está ao lado dele! Assim que entrou na sua casa em SP, correu até a lavanderia. Ela encontrou as roupas que seu filho usava no dia do sumiço. Estavam dentro da sacola, ao lado da máquina de lavar!
submitted by DonaBruxa_Deyse to u/DonaBruxa_Deyse [link] [comments]


2020.09.22 15:58 MaduRM Minha melhor amiga só falou comigo por causa de um desafio

Faz uns 3/4 anos que ela me contou isso mas eu não acho que eu aceitei muito bem.
Quando eu tinha uns 5/6 anos e estava entrando em uma escola nova, 1° ano, eu não sei o que aconteceu se eu acabei chegando uma semana depois ou se todos que estavam lá já se conheciam por já estudar no pré na mesma escola.
Eu cheguei e ninguém falou comigo, e não foi por falta de tentativa, o que ocorria é que as crianças me ignoravam.
Comecei a ficar sozinha e eu achei por muito tempo que eles só não queria falabrincar comigo por conta do meu porte físico, sempre fui gordinha.
Até que um dia estavam todos brincando no parquinho e eu estava de fora esperando pela aula sentada em uma mesinha quando uma menina apareceu, vou chamar ela de Mica, a Mica foi super legal comigo, conversou, sentou perto de mim, nos viramos melhores amigas na escola.
O que eu não sabia é que a Mica era amiga da menina "popular" da sala (ninguém é popular aos 6 anos de idade mas ela meio que era a menina que todo mundo beijava os pés), e que a menina popular tinha desafiado a Mica a ir falar comigo aquele dia, a Mica percebeu que eu era uma pessoa legal e continuou minha amiga, sem me contar nada do que havia ocorrido.
Eu sempre tentei ser amiga da menina popular de alguma forma mas ela sempre me tratava mal por um motivo diferente e eu tenho uma caralhada de traumas por conta dessa garota.
Ele sempre jogava na minha cara que eu não ia ser chamada para algum aniversario ou alguma festa do pijama que as meninas iam fazer na sala.
Uma vez estavam todos correndo para os cantos no intervalo, quando eu cheguei na sala a MP disse que estavam correndo de mim.
Isso durou uns 2 anos até entrar uma menina nova na sala, eu e a Mica já tratamos de falar com ela pra aumentar o nosso grupo de amigas kkkk.
Nos três fomos melhores amigas até o 5° ano quando eu mudei de escola.
Mas até quando eu tinha mudado de escola a MP me perseguia ela ficava me mandando mensagem na dm do facebook e eu respondia pq era trouxa.
Quando eu estava no 9° ano e eu ainda mantinha um pouco de contato com a Mica pelo zipzop eu postei algo nos status do tipo "me conta algo sobre quando a gente se conheceu" e foi ai que ela me contou sobre ter sido um desafio, nada mudou com a minha amizade com ela e hoje em dia somos até mais próximas pois estamos estudando na mesma escola só que em salas diferentes.
Isso me abalou um pouco e até hoje eu tenho um pouco de medo de que as pessoas só venham falar comigo de forem desafiadas de alguma forma. Eu até que sou extrovertida e tento conversar com todo mundo.
Essa é a primeira vez que eu falo sobre isso eu acabei não contando pra ninguém e evito tocar no assunto.
Eu espero que a historia não tenha ficado confusa.
submitted by MaduRM to desabafos [link] [comments]


2020.09.18 02:40 iamassuregi Segunda chance ok, agora terceira, quarta e quinta ...

Preciso tirar isso do peito kkkkk então isso é longo
Eu conheço uma garota desde a sétima série, hoje tenho 24 anos. Essa garota por muito tempo foi minha amiga, mas sempre meio com vergonha. Kkkk eu não tinha uma boa aparência na época (e em minha defesa todo adolescente é feio) e hoje, olhando para trás, sinto que ela tinha vergonha de mim.
Em 2017 ela me apresentou a um amigo dela. Muito estranho, o cara tinha uns 40 anos e era amigo de uma moça de 21... Um dia fui dormir na casa dela, na época levei o PlayStation e ficamos jogando. Uma das irmãs, que tinha 15 anos aparece, totalmente bêbada. E esse coroa trazendo essa menina. Eu fiquei indignada, pois ela estava muito bêbada mesmo, até vomitou e desmaiou. Eu fechei a cara quando vi isso tudo e só pensava em chamar uma ambulância ou a polícia. Lembro que ele falou algo como: "Ela estava na minha casa com a minha filha, tomou só um pouco" e eu retruquei: "Ela tem quinze anos. Não devia ter tomado nada".
Esse foi o meu primeiro erro. O cara pegou raiva de mim aí.
Enfim, noutro dia fui pra minha casa e segui a minha vida.
Na época da escola éramos um trio: eu, essa garota e outro amigo. Esse moleque não era amigo dela há um tempo.
Outra visita a casa dela e ela me pergunta dele. Eu falo a verdade, que disse que nunca mais queria falar com ela. Tinha morrido pra ele. Volto pra minha casa e quanto estou deitada já, vejo uma ligação. Era o coroa me ligando.
Ele gritou comigo, disse que se fosse para eu falar desse amigo que eu não pisasse mais o pé na casa dela. Queria saber o que ela tinha feito pra ele, e eu apenas respondia: pergunta pra ela!
No dia fiquei morrendo de medo. Depois chorei de raiva. Mandei uma mensagem pra ela, dizendo que precisávamos conversar. No outro dia ela me respondeu, dizendo que iria falar com ele. Depois veio com uma conversa que não podia escolher lado pois não tinha ouvido a ligação para dizer o que cada um disse.
Depois disso me afastei, me ocupei com trabalho. Respondia ela pouco. Meu erro também, devia ter bloqueado nessa época. Também comecei a me arrumar bastante, me cuidar mesmo e a ter encontros kkk (e sim, agora sou bonita)
Ela me chamava para ir na casa dela sempre e dizia: leva o videogame, não tem nada aqui para fazer. Ela mora noutro bairro, muito contramão pra ônibus, então eu andava meia hora com um PS4 mochila, chegava lá morrendo. Eu acabava dormindo lá pois sempre ficava tarde pra voltar. Um dia eu falei pra ela que tava muito zoado para ir, pois estava tendo assalto direto e eu não poderia dormir pois tinha compromisso. Ela disse: então deixa o vídeo game aqui. Depois você busca.
Aí sim eu descobri, ela só queria jogar.
Então fui me afastando, até que ela surgiu meses depois fazendo perguntas sobre esse maldito videogame. Eu não entendo muito, tinha comprado ele no fim de 2016 pois foi uma baita promoção e eu usaria para ver vídeos do YouTube e alguns jogos que eu tinha visto gameplay. Mas por causa do trabalho quem usava mais era a minha família, para assistir. Então eu realmente não sabia responder nada. Foi uma semana de questionamentos até ela me pedir a minha conta da PSN. O coroa tinha dado um videogame para ela. Meu sangue ferveu, e eu disse que não. Ela veio com uma conversinha do tipo: "você não confia em mim?" Eu apenas disse: "sei que você não vai pegar nenhuma informação minha, mas não empresto pra você. Meses sem falar comigo e quando volta quer favores?".
Ela sumiu por três dias e quando voltou disse que não poderíamos mais ser amigas. E começou a escrever um textão. Eu simplesmente dei block e deletei o número. Isso foi no fim de 2018.
Nessa época eu estava meio mal, mudei para um emprego de meio período e fui passando sem comprar muita coisa. Vendi o videogame e resolvi estudar para entrar numa universidade. A situação financeira aqui em casa apertou tanto que eu praticamente sustentei a casa por uns meses com um salário de meio período. Deixei muito currículo mas nem chamavam... Enfim.
No fim de fevereiro desse ano entrei no meu Facebook e tinha várias mensagens dela, das irmãs, pedido para eu mandar mensagem pra ela. Eu sou muito curiosa, então não aguentei. Passei o meu número para a irmã e disse que entrar em contato comigo. Ela falou comigo e pediu desculpas.
E eu aceitei, pois estava numa paz e estava tentando mudar, ver o melhor nas pessoas. Estava muito de boas mesmo.
Ela veio perguntar da minha vida, eu disse que estava estudando e trabalhava algumas horinhas por semana.
Aí ela me pediu uma dicas para estudar pra FUVEST/Enem e acabamos combinando que eu poderia ajudar ela a estudar.
Desde 2019 eu estava muito calma, não me irritava com ninguém e também toda semana tirava um momento pra refletir os pontos da minha personalidade que tinha que melhorar. Mas eu fiz um grande erro: ser gentil não é ser otária. E eu estava sendo uma otária.
Acabou que o corona apareceu e bagunçou a vida de todo mundo, mas continuamos nos falando. Ela comentava lugares que queria ir e eu dizia "ah, depois do corona a gente vai". Acabou que a primeira oportunidade foi esses dias, quando sp começou a permitir que cursos extracurriculares voltassem. Decidi que iria fazer um curso de japonês, pois estava meio deprimida e queria algo para ocupar a cabeça. Chamei ela para dar uma olhada comigo na unidade da escola.
Eu já tinha comentado com ela que estava ficando bem ocupada recentemente, então podia ser que eu esquecesse de ver as mensagens. Falei pra ela que sábado ficaria fazendo um trabalho. Então sábado de manhã fomos ao curso de japonês e quando voltamos ela se convidou para ir na minha casa. Eu, por causa de estar ocupada e cansada, não queria ninguém aqui, então só disse que outro dia a gente marcava.
Depois disso ela nunca mais de respondeu. Ela tinha parado de falar com o coroa quando voltou a falar comigo, mas deve ter voltado.
Essa novela é tão grande e ruim que vou acrescentar uns detalhes aqui:
O que eu aprendi de tudo isso? Não fique perto de quem faz mal pra você. Seja gentil, mas não seja besta.
submitted by iamassuregi to desabafos [link] [comments]


2020.09.17 02:45 bocadinhas Juliana

Não houve um desfecho Eu me pergunto E me reviro ao avesso tentando entender aquelas duas últimas semanas Não houve um desfecho Minha mente rodando por horas e horas a fio nesse mesmo pensamento de dúvida Não houve um desfecho E hoje meses depois Cheguei a conclusão que aquele foi o nosso desfecho Foi tão curto pra algo que pra mim era tão grandioso e idolatrado Eu não te amo da forma correta Eu lembro de dizer isso pra mim várias vezes quando estava com vc E de lembrar que talvez eu tivesse deixado escapar esse pensamento e vc tivesse me ouvido Eu não te amo da forma correta O fato é que eu faria tudo por vc Quando eu nem fiz nada Mas eu faria Na última conversa Na última briga Eu fiquei tão mal a ponto de chamar meu pai no meu quarto De gritar ajuda Porque eu simplesmente precisava sair daquela crise de ansiedade Eu assumi naquele dia e eu mostrei pra ele Tudo o que eu sentia por vc Pela primeira vez eu consegui ver ele como meu amigo Nesses 24 anos E quando ele disse "Filha vc precisa conhecer essa menina pessoalmente e dar uma conclusão " Foi um abraço no meu coração Por um momento ele me ajudou a planejar a ir pra i Mas então o que ocorreu em seguida Vc ainda havia me deixado no vácuo tendo como final da conversa sua tirada de investimento nessa relação e a minha famosa falta de maturidade E uma possível amizade Eu esperei sabe ....eu pensei 'ela vai me responder E aí eu apenas aviso " vou ir te ver mês que vem " ' Eu já tinha seu endereço Não seria problema nenhum pra mim como já havia tentando outras vezes Eu esperei seu retorno e só joguei pro universo sabe pensei se ela me responder Eu apenas aviso isso E vou ... E vou vê-la Aquela quem eu amei sem tocar Aquela de quem eu pertencia sem nunca te lá visto Mas o universo me respondeu bruscamente_ Vc Não me respondeu e eu entendi o recado Passou aquelas duas semanas E mais uma e mais uma E meses até hoje dia 11 de setembro Eu me livrei do seu cobertor 3 meses depois desse desfecho E eu rasguei seu endereço a uma semana embora ainda tenha uma Av pascoal alguma coisa na cabeça Rs Eu rasguei sua ccoisas aquele bilhetinho com a pergunta " quer ser pra sempre minha " Eu apaguei os prints das nossas conversas E os emails.... Eu deixei de stalkear tem 1 semana Mas eu nunca deixei de pensar em vc Prova disse é isso Aqui Que estou fazendo antes de me virar e ir dormir ... Escrevendo Escrevendo sobre vc
By Izabela p
submitted by bocadinhas to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 13:44 JustCallMeLyraM8 GT DA BROTHERAGEM

GT DA BROTHERAGEM
/cc/
>eu tenho um amigo bem próximo
>amigo não
>ele é tipo um irmão
>amo aquele filho da puta
>vamos chamar ele de Maicão
>nos conhecemos no jardim da infância
>dividíamos o todynho e o biscoito passatempo no recreio
>bolachaéocaraio.mp3
>estudamos na mesma turma até a quinta série quando os pais dele se mudaram pra longe da escola
>ele continuava morando na mesma cidade, mas tava numa escola diferente
>ainda assim nos víamos todos os fins de semana
>nossas famílias se tornaram amigas também
>tudo era um mar de rosas até o final de 2004
>ano 2005
>entra uma aluna nova na minha turma
>o nome dela era Thais
>lembro como se fosse ontem do momento em que ela entrou na sala
>tudo parecia ter ficado em câmera lenta
>o sol batia nela
>o ventilador soprou seus cabelos
>ela marchava como uma égua manga larga do trote formoso
>paudureci naquele exato momento
>o foda é que eu tava em pé naquela hora e a primeira aula era de educação física
>short.gif
>todo mundo da sala começa a rir de mim e a gritar
>me chamaram de pau retrátil porque foi só a menina aparecer que ele subiu
>morri de vergonha naquela hora
>sentei na cadeira e pus a mochila no meu colo
>eu só queria sumir
>até a professora riu
>mas a Thais não
>ela sentou atrás de mim e disse pra eu não ligar pra eles e que eu ficava lindo com vergonha
>caraio vei não pude acreditar
>eu era tão tímido que pedi pra ir no banheiro na mesma hora e fiquei trancado lá até a hora do recreio
>quando o recreio chegou eu pus o dedo na goela na frente da sala dos professores
>acho que vomitei até meu intestino naquela hora
>comecei a dizer que tava passando mal
>os professores me liberaram da escola e fui pra casa mais cedo
>chego em casa e passo a tarde toda tendo fantasias masturbatórias com a Thais
>eu era tão beta quanto aqueles peixes de briga
>quando a noite chega eu corro pra casa do Maicão
>conto tudo pra ele feliz da vida
>Maicão fica feliz por mim
>brodagem.rar
>segue o jogo
>durante o resto do ano eu iria me aproximar cada vez mais da Thais e me afastar cada vez do Maicão
>ele dizia que ela tava me afastando dele mas eu discordava
>dizia que era coisa da cabeça dele
>o tempo passa
>a Thais é promovida à pitanguinha e a distância entre mim e meu brother ia aumentando cada vez mais
>um dia briguei feio com o Maicão quando ele disse que ela tava cmg só por conta do meu dinheiro
>eu não era rico, mas da escola eu era o mais bem de vida
>meu pai era o único que não tava preso e não trabalhava com drogas
>minha mãe não trabalhava na zona
>zoas ela trabalhava sim
>ela agenciava a tua mãe, aquela puta boqueteira
>zoas de novo, minha mãe era artista plástica
>um dia eu acabo falando pra Thais que o Maicão tava se sentindo escanteado
>ela começa a me dizer que era inveja do nosso relacionamento e que ele só queria nos separar
>acabo dando ouvidos a ela e brigando feio com ele
>putaquepariuqueburrice
>nunca devia ter dado ouvidos à ela
>foco no gt
>paro de falar com o Maicão e cada vez mais me entrego pra a Thais
>toda semana era cinema
>lanche na Mc Donald’s
>roupa na Marisa
>minha mesada começou a ser exclusivamente dela
>um belo dia recebo uma mensagem do Maicão dizendo que a Thais tava me traindo
>respondi mandando ele tomar no cu
>ja faziam uns 5 meses que eu não falava com ele e do nothing ele vinha com um papo desses
>ele disse que eu devia ficar atento aos sinais
>não dou a foda pro que ele diz e continuo o namoro
>na semana seguinte vejo ela com uma marca roxa no pescoço
>ela diz que tinha caído da escada
>eu disse que acreditei mas fiquei desconfiado
>nada me tirava da cabeça oq o Maicão tinha me dito
>procuro ele e conto oq aconteceu
>diferente de mim ele não era um filho da puta
>Maicão me ove e depois me conta tudo que sabia
>a Thais tinha vindo da escola em que ele estudava
>ela era conhecida como viúva negra na escola
>ela se prendia à um macho e sugava tudo dele até ele não ter mais nada
>sim, ela tmb sugava o pau
>não, ela não tinha sugado o meu ainda
>Maicão continua a história dizendo que tinha visto ela saindo da casa de um carinha que morava no mesmo bairro dele
>até aí não vi nada demais
>mas ele me disse que ela tinha dado um beijo na boca do cara na saída e quando virou de costas o cara deu um tapa na bunda dela
>ÉOQ?!
>aquela vadia não tinha nem sequer me deixado pegar na bunda dela ainda
>dizia que era só depois do casamento
>eu era beta betoso full +15
>ela me levava pra igreja todo domingo
>acreditava nela sem questionar
>caio no choro e o Maicão me consolou
>disse que eu não tava sendo um bom amigo mas que ele nunca deixou de me ter como irmão
>bolamos desmascarar ela juntos
>ela ia pra casa dele toda sexta de noite
>realizo que era a hora que a mãe dela saía de casa pra ir pro culto de oração da igreja
>caraio_como_sou_burro.jpeg
>chifre.rar
>no dia seguinte falo com a Thais como se nada tivesse acontecido
>ela diz que me ama
>digo que amo ela tmb
>caraio, eu queria matar ela ali naquela hora
>mas amava aquela desgraçada
>feelsbad.png
>sexta feira
>19h
>tava com o Maicão escondido na rua da casa dela
>avistamos a mãe dela saindo de casa
>corremos pra mãe e contamos a história
>mãe não acredita, mas topa ir com agnt até a casa do talarico
>19:30h
>Thais sai de casa com um short enfiado no cu
>pqp pra quê enfiar tanto ssaporra?
>tava tão fundo que ela devia ta sentindo do gosto dele
>seguimos ela de longe
>a vadia entra na casa do moleque
>nessa hora a mãe dela já queria matar ela, mas eu fiz ela esperar
>entrei dando um chutão na porta da frente
>queria pegar ela com a boca na botija
>e consegui
>infelizmente a botija em questão era a rola do cara
>ela tava engolindo o pau daquele moleque com uma facilidade absurda
>nem sua mãe consegue engolir minha piroca tão fácil
>foco no gt
>Thais leva um susto tão grande na hora que morde o pau do cara
>num ato reflexo por conta da dor o cara da um murro na cara de Thais
>ela cai no chão
>a mãe dela comeca a bater nela com uma havaianas e depois começa a arrastar ela pelos cabelos pra fora de casa
>a Thais é arrastada pela rua até chegar em casa
>racho o bico com a cena como mil hienas comemorando a morte do Mufasa
>peço perdão pro Maicão pela cagada que fiz
>Maicão diz que fui um idiota, mas que era o irmão dele e que nada iria nos separar
>dois dias depois Thais chega na escola toda roxa
>tinha apanhado tanto que o conselho tutelar tirou a guarda dela da mãe
>ela chega perto e diz que quer falar CMG
>ignoro
>ela me puxa pelo braço, olha no meu olho e diz:
>como vc descobriu?
>digo que o Maicão me contou tudo
>ela diz que vai pra um orfanato hoje. Só foi na escola buscar sua transferência.
>Kkkkkjkkjjjk
>ela diz que eu posso rir agora, mas quem ri por último ri melhor. Disse também que nunca iria esquecer aquilo e que o Maicão iria pagar por ser x9
>puxo meu braço, dou as costas e vou embora
>ano 2016
>terminei a escola e faço faculdade
>Maicão faz o mesmo curso que eu e estudamos na mesma turma novamente
>full brothers +15
>desde o episódio com a Thais nunca mais tínhamos brigado
>trabalhávamos, tínhamos nossa independência
>tudo ia bem até recebermos o convite para uma festa que rolaria naquela noite
>eu e o Maicão dividiamos o apartamento agora
>o convite veio por baixo da porta dentro de um envelope
>open_bar.jpeg
>o envelope vinha com 2 pulseiras
>as pulseiras davam acesso à área vip da festa onde rolaria os alcoolismo
>ficamos relutante por um momento até abrirmos a carta
>a carta tava endereçada à mim e ao Maicão
>era uma letra de mulher
>não tinha muita informação só dizia que não deviamos perder a festa por nada e que lá tudo seria explicado
>não tinhamos nada à fazer então topamos
>22h
>party.time.jpeg
>logo de cara fomos recebidos por duas loiras peitudas que estavam de camisa branca
>ambas estavam dançando na entrada da festa enquanto se molhavam com uma mangueira
>séélococuzão.rar
>a festa tinha uma proporção de 4 depósitos para cada homem
>a cada dois homens, um era gay
>era tipo o plenário da câmara dos deputados só que ao contrário
>quando entramos no salão principal todo mundo virou pra a gente
>tipo aquela cena do universidade monstro
>as depósitos cochichavam entre elas
>pensamos que tinha algo errado conosco mas a vdd é que éramos os caras mais lindos dali
>na vdd nem éramos isso tudo, mas tínhamos rola e éramos heterossexuais
>feelsalpha.png
>fomos andando até a área vip
>a decoração da festa era cheia de fotos de uma depósito
>era uma ruiva 10/10
>a festa devia ser dela
>tive a impressão que ja tinha visto ela em algum lugar
>áreavip.gif
>a área vip era lotada de bebidas
>não tinha uma depósito abaixo de 8/10
>no buffet tinha camarão e lagosta
>mano do céu era a festa mais foda que eu ja tinha ido
>quando olho pro lado ta o Maicão atracado com uma mina
>dois minutos depois a mina larga ele e agarra outra mina
>ÉOQ?!
>aquilo tava parecendo um bacanal grego
>uma coisa no entanto me incomodava
>quem teria nos convidado?
>avisto a anfitriã da festa, aquela ruiva 10/10
>ela se aproxima de mim lentamente
>mano do céu, paudureci na hora
>só conseguia imaginar eu enfiando o pau tão fundo nela que quando eu terminasse ia ta na camada do pré-sal
>a calça aperta e ela percebe que estou preparado para o abate
>fico sem graça e tento disfarçar
>ela vem por trás de mim, ri e diz que eu fico lindo com vergonha
>gelei na hora
>caraio, era a Thais - pensei
>pergunto se ela era a Thais
>ela ri e me chama de idiota.
>diz que seu nome é Raquel
>caraio, ela nao tinha nada a ver com a Thais
>errei feio, errei rude
>pensei que tivesse estragado minha chance
>raciocinando com a destreza de um crackudo na fissura e digo:
>é porque thaislinda com essa roupa
>ela ri, eu rio, segue o jogo
>nessas horas eu nem sabia mais que existia um Maicão
>só pensava em mergulhar naquelas tetas magníficas
>na boa, se ela fosse minha mãe eu mamaria até hj
>quando olho pro lado o Maicão tava agarrado com duas ao mesmo tempo
>bodyshot.gif
>caraio o Maicão tava levando uma surra de peito na cara enquanto bebia e eu no 0x0
>me aproximo da ruiva já na maldade
>ela chega do meu lado
>põe a mão no meu ombro e fala na minha orelha direita:
>quem é esse teu amigo?
>poooooooooooorra.mp3
>o moleque ja tinha catado duas e agora ia catar a ruiva
>tive vontade de mandar ela se fuder, mas ele era meu brother, não podia prejudicar ele
>nenhuma depósito ficaria entre nós
>não deu nem 10 minutos do momento que disse o nome dele pra ela e ela ja tava agarrada nele
>a ruiva chupava a língua dele como se fosse o último picolé do verão
>avisto uma depósito 9/10 dançando sozinha
>penso em me aproximar, mas antes que eu chegue a ruiva puxa ela e põe na roda com o Maicão
>ja não entendia mais nada
>eu sempre pegava as depósitos +/10 do que ele e agora ele tava numa orgia de bocas e eu sem nada
>começo a beber
>realizo que ta na hora de baixar as expectativas
>avisto uma ananzinha 5/5 escorada no balcão
>me aproximo dela e pergunto se o pai dela era padeiro
>ela pergunta se era pq ela era um sonho
>eu digo que era pq eu queria comer a rosca dela
>sério que anã rabuda do carai
>a anã me dá um tapão e sai de perto
>vsf que festa merda do carai
>comecei a beber descontroladamente pra compensar a frustração
>dou em cima da garçonete
>a garçonete era uma trans
>ela me esnoba e vai embora
>vômito.rar
>caraio nem a mulher com rola me quis
>decido que hoje não é meu dia e que ta na hora de voltar pra casa
>procuro o Maicão pra ir embora cmg
>vejo ele entrando no carro com duas 1,5 depósitos
>pensei que ele tivesse indo pra um motel ou algo do tipo
>ele tava de mãos dadas com a ruiva e com a anã 5/5
>a ruiva olha pra mim, da uma risada e depois um xauzinho
>caraio que raiva daquela ruiva
>me esnobou e agora vai dar pro meu brother
>faço sinal pro Maicão que vou embora
>ele grita “Oklahoma”
>era nosso sinal secreto
>significava que ele ia realizar o ato de socação intra uterina e que eu não deveria incomoda-lo
>entendo o recado, dou meia volta e volto pra casa
>chegando em casa
>tudo girava por conta do álcool
>brinco um pouco com o o Visconde de Sabugosa até ele cuspir
>durmo
>no dia seguinte acordo com dor de cabeça, deitado no sofá
>percebo que tinham 537272717 chamadas não atendidas no meu celular
>todas do Maicão
>imagino todas as desgraças do mundo
>comeco a ligar de volta mas ele nao atende
>recebo uma ligação de um número desconhecido no meu celular
>é uma mulher
>ela ria descontroladamente
>disse que estava na festa o tempo todo me observando
>pergunta se a noite foi boa e se eu peguei alguém
>mando ela tomar no cu e digo que peguei a mãe dela
>ela racha o bico e diz que é impossível pq a mãe dela foi a primeira a pagar oq devia
>gelei na hora
>reconheci a voz
>era a Thais
>ela começa a contar seu plano do mal
>diz que foi parar num orfanato depois daquele episódio
>que apanhou muito da família onde foi parar mas a família era podre de rica
>a família produzia festas tipo o tomorrowland
>viajaram pra fora do país e levaram ela junto
>disse que por muito tempo quis se vingar mas a família não dava a foda
>dois meses atrás a família tinha morrido num acidente de carro e ela ficou como única herdeira
>ela pôs como meta de vida concluir a vingança que passou anos arquitetando
>disse que a festa foi planejada por ela
>que todas as depósitos da área vip foram contratadas por ela baseadas no meu tipo de mulher
>pergunta como me senti não pegando ngm e vendo o meu “amiguinho” catando todas
>respondo que a vingança dela era uma merda e que tava feliz pelo meu brother
>ela racha o bico e diz que a vingança dela não era me deixar sem pegar ngm
>ela queria se vingar dele por ele ter dedurado ela
>pergunto qual vingança há em encher a rola dele de depósito
>você verá - ela me disse
>desligo o espertofone e percebo que chegou uma mensagem do Maicão no oqueapp
>faz uma semana que o Maicão toma mais coquetel que o Amaury Jr.
pica relatada da mensagem
https://preview.redd.it/9o5g9y8ep3n51.jpg?width=1080&format=pjpg&auto=webp&s=3dbefd7c59d10e7b40b9168ddac79176762f8591
submitted by JustCallMeLyraM8 to gtsdezbarradez [link] [comments]


2020.09.10 16:12 henrylore Najiyu Ep 9 - Nós somos prisioneiros! Por enquanto...

??: *joga Nevaska dentro da cela
*fecha ela com toda a força
*sai andando pelo corredor frio e cinzento, aquecido apenas por um tapete roxo no chão
*abre a porta principal muito parecida por uma porta de cofre
*fecha ela
Ne: *ouve barulhos de tranca
...
*olha pra cela ao lado e vê
H: *sentado na cama da cela
...
L: *esticando a corda do arco até ela fazer algum som
P: *na outra cela do outro lado deitada
Ne: meh
H: nao tem nada a dizer?
Ne: o que vocês querem que eu diga?
L: nada so que voce extrapolou o plano todo brigando com UM GUARDA VOCÊ PODIA BRIGAR COM QUALQUER CARA MENOS UM GUARDA
Ne: tá bom ok?
eu briguei com ele porque ele se meteu na briga entre EU E SHIBARU
*bate na grade
H: e por que cacetes você foi pra cima dele daquele jeito?
Ne: vocês não sabem o que é construir uma coisa, pra entregar e confiar ela pro cara e ele destruir tudo
PRINCIPALMENTE COM PESSOAS
PESSOAS era uma vida aquilo ali
a Winry, era uma alma que foi destruída por XERETAR
L: hmmm
P: mas como assim? você deu tudo pra ele?
Ne: depois que a minha melhor amiga sumiu na minha última missão eu resolvi passar o cargo de líder pra próxima pessoa, e abandonar a ordem
ou seja lá o que isso se tornou
L: e voce entregou pra um palmeiras aleatório?
Ne: ele era confiável na época, a pessoa mais velha e confiável que eu tinha
ele tinha se provado ser uma boa pessoa e de confiança
mas então ele se tornou arrogante e tirou tudo de mim
...e da ordem
L: ah legal, agora ele vai sair andando por aí se achando o espertão por ter "vencido"
P: entao você era a líder??
Ne: sempre fui, e quando voltei sabia que ele não ia me querer de volta no cargo
só como substituta
L: voce entregou o seu cargo.
Ne: PERDE A SUA MELHOR AMIGA PRA VOCÊ VER
L: E EU LA TENHO UMA MELHOR AMIGA??
P: A CULPA É INTEIRA DE VOCES O LUSK FICOU GRITANDO, A NEVASKA EMPURRANDO O HB, AH VAI NÉ
H: e aí?
L: hm?
Ne: hein?
H: voces vão continuar brigando?
a gente tá preso.
seja lá de quem foi a culpa
a gente tá aqui
e é isso...
Ne: ... tu tem razão
L: é
P: *só deita pro lado
H: *pega duas pedrinhas e tenta trocar elas de lugar
não funciona aqui
Ne: é uma cela anti magia
magia não funciona aqui
*tenta fazer um pedacinho de gelo no chão mas ele se desfaz
L: é, estamos fritos.
H: vocês já pararam pra pensar por que separaram a gente em 3 celas?
Ne: porque separam meninos de meninas
L: e acharam a nevaska muito brava das ideias pra ficar perto da ponce
alias que história de toggi foi essa?
P: *se senta e olha pro lusk
você não sabe da minha vida pra se perguntar isso
L: Hmmmmm. Maneiro.
H: mas aí
o que o shibaru quer aqui?
Ne: nas cartas dele tavam escrito que ele queria poder
P: poder? numa vila humilde dessas?
Ne: é normalmente onde guardam as coisas mais poderosas...
H: voce sabe de alguma coisa que a gente não sabe né?
Ne: não
H: pode falar
Ne: não?
H: hmmmm *se encosta na parede de novo
*olha pra cima e vê a luz da lua batendo na janelinha e se contrastando com o resto de luz da tocha na parede que levemente vai se apagando
??²: *passa fazendo uma sombra na cela
*coloca a mão na grade da janela
talvez o nome disso seja Guilt
*olha lá pra dentro
H: ...?
o que-
??²: *abaixado e olhando lá pra dentro
Guilt... é o nome disso
H: ...
*percebe que é a mesma pessoa do dia do trem, que estava assaltando todo mundo
V-VOCE
VOCE TAVA NO TREM
??²: tava
H: VOCE TENTOU ROUBAR A GENTE
mas você desistiu?
??²: foi
Ne: ah é? então foram vocês
H: achei que voce tinha duvidado
Ne: nah eu sabia que algo assim acontecia mas não achei que você acordaria
??²: foi exatamente isso que me chamou a atenção
mas fala aí vai querer sair daí ou nem?
H: nao sei se confio em você...
??²: ou você confia ou você não sai
H: e como voce vai fazer isso?
??²: *levanta e sai andando
**do lado de fora:
??²: *chega perto da ?³ (a outra pessoa do trem)
??³: *olha pra frente do castelo e vê um guarda la
*sai andando e indo em direção ao portão do castelo
Bessa: *olha pra ela
EI! O QUE FA-
??³: *olha de volta e seus olhos brilham rosa
*adormece o guarda Bessa
*vira pro ??² e faz um joinha
??²: *abre lentamente uma festinha da porta, suficiente pros dois passarem
??² e ??³: *entram
??²: *segura a mão da ??³ e sai andando pelo escuro (ele provavelmente enxerga no escuro)
**do lado de dentro
H: ...
L: soa melhor assim
Ne: os caras vazaram
**ouvem um barulho de tranca
??²: *abre a porta
boa tarde família
H: ah você conseguiu
??²: óbvio que consegui
*puxa umas chavezinhas
*abre a cela da Nevaska
Ne: *sai se limpando
depois dessa eu nunca mais bato num guarda véi
??²: *abre a cela do Henry e lusk e ponce
H: estamos livres
mas e aí? qual seu nome
J: meu nome é John, mas tu pode me chamar de Nomad ou sei lá
Du: meu nome é Duda, mas você pode me chamar de... Mikasa?
H, L, J, P, Ne: Duda
Du: ai tá bom meu deus
P: agora a pergunta é será que tem mais gente lá pra trás?
**olham pro fundo do fundo do corredor onde se sente um vento frio vindo dele
L: vamo vê né não custa ver
**veem na cela ao fundo uma pessoa com olhos vermelhos olhando seriamente pra eles
**nas celas ao lado tambem, diversos olhares hipnotizantes avermelhados
Ne: e tá aí a razão da gente estar aqui
P: se isso tá aqui... significa que a fonte dessas coisas se encontram aqui
L: mas e ai a gente solta esses cara aí?
??¹: *para de olhar pra eles e senta na cama da cela
H: nah isso precisa ser tratado com cuidado
Ne: é verdade, vamos conversar com eles assim que recuperarmos a confiança
J: sinceramente eu não acho que vocês vão recuperar a confiança de alguém assim...
fugindo da prisão
Du: o John tem razão
fazendo isso vocês já perderam todas as chances de ganhar a confiança deles
Ne: eh?
meh a gente tá aqui pra solucionar não pra amigar
certo?
H: •-•
Ne: eu acho que não
J: *guia os dois pela escuridão até a saída
**veem o guarda caído na porta
J: shhhh morto não fala
Du: hehehe
H: voce adormeceu o cara?
J: sim
**depois de um pouco longe
Ne: tá oq a gnt faz agora
J: voces disseram que o cara que vocês tavam procurando
queria poder né?
H: sim
J: e se esse cara procurasse o Guilt?
L: quem diabos é guilt?
J: ele é uma das crianças que deviam ser protegidas aqui
ele tem um amuleto que dá poder pra quem possuí ele
L: QUE MANEIRO então ele deve ser bem poderoso né?
J: minha teoria é que ele não sabe usar aquilo, mas se ele fica sem aquilo ele fica muito fraco
então eu resolvi não roubar
Ne: você tentou roubar aquilo?
J: sim
H: eeeeeh
J: eu desisti pelo bem dele, mas tem gente que não desistiu
H: e onde você achou?
J: ele frequenta lugares específicos normalmente
H: então a gente tem q achar ele
L: hmmm
J: que dia é hoje? 23 né?
é aniversário dele
H: onde será que ele comemoraria o aniversário dele?
...
Ne, L e P: ...
J: o que? esperavam que eu soubesse?
L: sim.
J: heh pois é eu não sei
Ne: é bem provável que se a gente encontrar o menino a gente encontra o shibaru
J: hmmmm ele sempre vai na sorveteria de tarde...
L: de noite ele dorme né mané mas onde ele mora?
J: hummmm
Du: tem uma casa em cima da loja de picolés
talvez aquele cara tenha abrigado ele ali
J: o tio do picolé?
Du: ele mesmo
**depois de um tempo
J: é aqui.
*abre a janela que por algum motivo tava destrancada
**todo mundo entra
J: *sobe as escadas e...
não tem ninguém aqui
Ne: talvez ele já tenha passado por aqui
P: ou o menino nem mora aqui
H: mas tá tudo revirado olha aqui
Sh: *do lado de fora em cima de uma árvore
*olha pra janela da sorveteria aberta
...
*dá um sorriso
só uma provocadinha vai...
*coloca a mão na boca do guilt pra ele não gritar nem nada
**ouvem um barulho vindo de baixo
J: ouviram isso???
P: shhhh
*desce as escadas com cuidado
...
Sh: ello.
*aparece segurando o guilt
G: merda
P: VOCÊ
Sh: relaxem
P: *corre e da um soco na cara dele
Sh: *leva o soco mas joga ela no balcão
J: *usa uma força de gravidade e faz o shibaru cair
Sh: *é empurrado pra baixo e não consegue se levantar
quem é... esse cara?????
J: *prepara um golpe de relâmpago
H: °°
ELE CONTROLA DOIS ELEMENTOS????
J: *aponta pro shibaru e...
H: *segura a mão dele
não, se gente fizer isso aqui a gente vai chamar atenção demais
J: ô seu-
G: *aproveita e tenta escapar pela janela
Du: *tenta usar os olhos pra adormecer o shibaru
G: *olha e adormece zz
Sh: entao é isso, ela consegue adormecer os outros!
Du: *usa de novo
J: *nao olha
Sh: *puxa a espada dele e reflete fazendo Nevaska, Ponce e Duda adormecerem
L: QUE (ele tava em cima então ele não olhou)
H: meu deus
Du: oh
acho que isso é ruim gente
??: TEM ALGUEM AÍ??
QUE BARULHADA É ESSA
Sh: *segura Guilt e pula pra uma árvore
??: o que foi isso? (percebe-se q ele tá do outro lado da loja)
J: tsc
eu distraio eles, vocês vão atrás daquele cara e do Guilt
H e L: *acenam que sim com a cabeça
J: *sai da loja e sobe rapidamente em cima na laje
*joga um monte de estrelas ninja com bombas de fumaça pra cima
??: VOCÊ..
*sobe e vai atrás dele
H: acho que é com a gente brether
L: concordeis.
**colocam as 3 no andar de cima
H: *tranca por dentro
*deixa a chave ali
L: *pega um lápis do balcão e deixa na escada
H: *troca de lugar com o lápis
boa brether
H e L: *batem os punhos
H: *fecha a janela depois de sair
fiquem bem...
**saem correndo
L: pra onde tu acha que ele foi?
H: eeeeeh não faço ideia
Sh: nao muito longe do que vocês pensam
**se encontram num lugar sem saída bem espaçoso mas cheio de vendinhas velhas e armazéns de produtos pra repor
Sh: é uma grande honra ter os novos integrantes da ordem aqui comigo...
pra morrerem.
*junta as mãos e faz uma hiper onda de fogo em volta dele
H: °°
L: guh
pois é mano
H: onde você botou o maluco lá?
Sh: como se eu fosse te dizer...
vocês não vão salvar ele
basta eu tirar o amuleto
e eu serei imparável
L: voce so vai fazer isso se a GENTE deixar.
Sh: e vocês deixam?
L: Não.
Sh: *faz uma bola de fogo na mão e atira neles
H e L: *vai um pra cada lado e desviam
**bola de fogo bate nuns barris e começam a pegar fogo
H: isso vai chamar atenção
L: a gente tem que ser rápidos.
Sh: que o show...
*olhos brilham vermelho
comece.
... NO PROXIMO EPISÓDIO DE NAJIYU
Najiyu Ep 10 Por uma vida
❤️
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]


2020.09.10 15:57 henrylore Najiyu Ep 4 - Bem vindos! A resistência...

Ne: hm?
a-ah! oi, eu-eu não sabia que você tava acordado....
*coloca o violão pro lado
eu te acordei..?
H: não, eu na verdade acordei por acaso, a luz da lua tá muito forte e tals... o que você tá fazendo
Ne: lendas dizem que se chama relaxar
é uma das coisas mais preciosas que os deuses já inventaram para nós, seres vivos hauheheuee
H: hehe... ta tocando violão?
Ne: eu? n-não você deve ter ouvido coisas e tal...
(๑•﹏•)
H: *sobe a escada por completo e vai em direção a ela
o que é isso aí então?
Ne: tá.. eu tava tocando violão...
H: *senta do lado dela
você que fez?
Ne: na verdade não, eu ganhei em uma vila muito fofa, onde tava tendo festival da música... tiveram diversas confraternizações... e me deram esse aqui
H: conte mais
Ne: tinha um garotinho se apresentando, ele era muito legal
e então ele resolveu tentar arrecadar dinheiro com isso, as músicas dele eram muito fofas
e eu não consegui, e dei um dinheirinho pra ele...
daí ele me deu esse violão
H: e ele perdeu o violão então?
Ne: que nada, ele tem uma coleção deles, assim como outras pessoas tem diversos instrumentos lá
...ou tinham
H: tinham?
Ne: a vila foi fechada devido a invasões, se refugiaram aí pra um lugar que eu não sei
H: se refugiaram?
Ne: alguém chamado may e tals
apareceu lá e ajudou eles
H: isso foi fofo da parte dela.... ou dele
né?
Ne: foi sim mas eu queria agradecer aquele garotinho pelo violão... foi muito fofo da parte dele sendo que eu nem sabia tocar isso naquela época
H: mas foi do nada assim?
Ne: eu ia lá todo dia e ele tava lá, e eu sempre dava uma quantia específica pra ele, até que ele me disse que queria retribuir
eu fiquei mal pq ele disse que tava meio sem rumo graças a umas pessoas aí
talvez a gente se encontre de novo, eu não sei
dês de que tudo aconteceu não tem mais sentido ficar vagando por aí
H: o que?
Ne: meh, nao to afim de ficar falando bobagem pra você sentir pena de mim
eu quero que você me veja como a fodona
H: ta mais pra a fofona não?
Ne: *dá um peteleco na cabeça do Henry
H: você lembra do nome do menino?
Ne: hmmmm, não
H: •-•
a bom
Ne: esperava que eu fosse lembrar? hahahahah
você é engraçado
H: eu sou eu ué
Ne: hehehe
*olha pro bolso do Henry e vê um pedaço da foto
ei *puxa foto do bolso
onde conseguiu isso?
H: ah- eu- tava olhando ali e achei e quando- eu achei- eu peguei-
pq eu ouvi o violão e não consegui pensar...
Ne: tudo bem, mas não roube coisas dos outros, não é legal.
H: ...
quem é ela?
Ne: quem é quem
H: ela *puxa foto e aponta pra menina raposa do lado da nevaska
Ne: ...
*fica encarando a foto
a resistência... funciona em grupos e nós duas tínhamos um grupo a gente era líder dele
só que o nosso grupo era declarado um dos mais poderosos de toda a resistência, então as missões mais difíceis eram entregues a nós, então grande parte do grupo morreu depois de um tempo
H: ai...
Ne: mas nós duas éramos tudo, a gente lutava junta a gente era premiada junta
eu amava ela demais
até que....
H: que...?
Ne: a gente descobriu atividades com o selo que tá prendendo as entidades malignas que afrontaram Naji a 14 anos atrás
e então a gente foi abrir
*começa a chorar um pouquinho
e ela foi levada por algo que até hoje eu não sei o que é
H: ...
poxa...
Ne: a sua cor me lembra muito ela
e o seu jeito é o mesmo dela...
eu achei isso curioso
*olha pro Henry com um sorriso e lágrimas nos olhos
H: ...
Ne: é por isso que eu ainda vago talvez pra encontrar ela
mas sozinha...
H: *bota a mão no ombro dela
você não tá sozinha
a gente tá aqui por você né?
;)
Ne: ... :(
:
:)
brigada heri
H: nao é nada heehe
Nevaska, toca uma música aí
Ne: ei *coloca a foto do lado
pode me chamar de neva
*pega o violão
{detalhe: ela tá sem as luvas}
começa a tocar: *beabadobee - coffee
L: *ouve isso
*olha pro lado
hmph o cara foi cortar...
*volta a dormir
**no dia seguinte
Ne: MINUTOS! SAO MINUTOS QUE PERDEMOS MAS QUE NAO PODEMOS PERDER ENTAO VAMOS!
bom dia gente como vcs tão
H: a
bodia
L: Olá.
eu estou bem.
Ne: levantem, eu vou tá esperando lá fora, a gente vai pra um lugar especial
L: iiih, aí. ferrou...
H: Vish
**um tempo depois
**eles caminhando
Ne: então, a gente tem que ir pra um lugar chamado Nira, e lá a gente vai encontrar o qye a gente quer
L: Nira nao é uma vila em Naji?
Ne: sim
H: e lá vai ter?
Ne: uma mini base secreta de você sabe quem, lá a gente pode ter mais informações sobre oq fazer
**chegando lá eles conseguem até ouvir aquela melodia medieval de violinos legais
H: woooow
é uma baita duma vila
Ne: éé meu amigo, as vilas que vieram do reino não são moleza não eles são beeem burgueses, sabe?
H: hmmmm
Ne: *entra num bar
H: boa tarde famiiilia
Ne: *chega no barman e fala
eai, eu vou querer aquela bebida lá, schnitzel, sabe?
L: schnitzel nao é uma comida?
H: shhhh
Barman: ah sim claro, mas eu acho que você vai ter que me ajudar a procurar..
Ne: meninos, venham comigo
Ne, H e L: *entram no lugar lá do Batman
H: caraaaaca quanta bebida
Barman: Nevaska, quanto tempo!
quem são esses?
Ne: são integrantes novos da ordem
pode deixar a gente entrar
BM: sempre né
*puxa uma bebida que na verdade era uma alavanca e abre uma porta
tenham um bom dia
H: valeu
L: boa noite
BM: olha estranho pro Lusk
...
mas tá de dia né?
**eles descem e passam por uma porta aberta que sai de dentro de uma parede e que dá em uma vila meio vale escondida no meio de várias rochas
L: woooooow isso sim é delicioso
H: caraaaaca
Ne: *barulho de canudo
H: ?? Neva onde q vc conseguiu isso aí
Ne: *bebendo suquinho naqueles copos com canudo
ah, eu roubei do barman
tô mó com sede
??¹: EAI NEVASKA!!! QUANTO TEMPO
*da um tapão no ombro dela
QUE BOM QUR VOCE VOLTOU
Ne: aaaaa oiiiiii
H: quem é esse cara lusk
L: eu nao sei
??¹: *quase esmagando a Nevaska de abraço
AAAA
Ne: ah, gente!
*solta do abraço
esse aqui é o Arthur(não é o Art), ele é um dos membros da equipe de vigilância da resistência
a gente é amigo dês de que ele chegou aqui
Ar: Olá. *faz um paz e amor
L: bonito bonito, como vai a sua mãe?
Ar: ah ela vai bem cara, encontrei com ela ontem e tals
*olha pro Henry quieto
E VOCE VOCE É UMA RAPOSA???
H: hmmm... sim?
Ar: CARAAAACA QUE INCRIVEL
NEM SEMPRE TEMOS RAPOSAS AQUI SABIA?
VOCE CHEGAR AQUI É TAK LEGAL
*abraça o Henry
H: *sente o calor do corpo do cara como se ele tivesse ha 6 horas no sol
Ne: *bota mão no braço do arthur

Ar: *solta abraço
hm?
Ne: sabe onde tá o shi?
Ar: lá dentro, xingando todo mundo como de costume
Ne: meeeh que bosta hein
fica bem Arthur, a gente tá indo
*bebe mais um pouquinho do suco
Ar: falow falow, até logo
H: cara simpatico
Ne: ele é, as pessoas daqui normalmente são legais
L: normalmente?
Ne: tem gente aqui que age como se tivesse morrido ontem, e infelizmente é quem a gente tem que encontrar
??²: OOOOO NEVASKA!!!
*da um soquinho na cabeça dela
Ne: Winry?
Wi: muito tempo né?
Ne: eu não venho aqui faz um tempo...
gente, essa é a Winry, ela é da equipe de exploração e ela controla a água
ela é super rápida e super incrível
*bebe mais um pouco do suco
Wi: *dá um tapão nas costas da nevaska
AH QHE ISSO
Ne: *cospe o suco todo
o shi ta dentro do quartel?
Wi: sim.
{percebe-se que elas falam MT sério qnd se trata desse cara ai}
H: ....
**eles sobem numa escadinha que da pra uma árvore e lá eles encontram um escritório cheio de armas e uma cadeira virada
Ne: shibaru?
**vem uma faca voando
Ne: *segura
de novo?
Sh: *vira a cadeira
não vem a três anos, o que você quer agora?
Ne: temos novos membros, pode registrar eles?
Sh: nem se os porcos voarem
Ne: que? como assim não
Sh: você não pode voltar depois de tanto tempo com duas pessoas aleatórias querendo enfiar ela na nossa associação
Ne: como assim, quando eu tava aqui não era assim
Sh: porque você era líder talvez?
Ne: e quando eu saio você muda tudo?
Sh: olha só, respeito e calma são a chave para o universo
então trate de aderir *levanta
{Shibaru tem o cabelo azul escuro usa uma jaqueta preta com uma blusa branca e uma calça jeans e ele é BEM ALTO MESMO deve ter uns 1,80}
Sh: *vai em direção da nevaska
pra sua sorte nos temos missões para vocês e se conseguirem resolver
talvez eu reabra o seu grupinho
Ne: que missão então
Sh: suspeito e tenho quase certeza de que o pessoal do templo da areia tá envolvido com a morte de alguns dragões por la, talvez eles estejam usando algo pra matar eles tendo em vista que um dragão não ia morrer pro elemento areia ou parecido
Ne: °-°
você acha que é um?
Sh: anel...
H: anel?
L: anel?
Ne: ...
Sh: não falou pra eles, Nevaska?
hmmm bem
anéis que carregam ambars com poderes dos antigos guardiões de cada elemento
os guardiões eram aqueles que ensinavam os elementos pros guerreiros qud passaram de geração em geração
Ne: mas aí a ambição subiu a cabeça e mataram os guardiões pra roubarem a sabedoria e o poder
Sh: exato.
recuperar esse poder e talvez restaurar os guardiões seria um dos objetivos da resistência
então, estamos aí pra tudo
Ne: ultimamente esses casos de dragões mortos têm acontecido pra cacete e a gente não sabe o porquê
Sh: poder.
Ne: hm?
Sh: poder.
H: poder?
L: ~FODER?~
Sh: poder é algo que muitas pessoas querem hoje em dia
já que tudo leva a isso
H: como assim
Ne: é oq eu já te disse, o reino manda na gente com poder, e pra revidar a gente precisa de mais poder
então todo mundo aqui procura poder
Sh: menos nos, a gente procura justiça
H: ....
Sh: mas é, se vocês fizerem a missão e recuperarem o anel eu dou o distintivo
Ne: vem com a gente?
Sh: nao, EU tenho coisa mais úteis pra fazer.
eu vou ao palácio do mar
Ne: fazer o que lá
Sh: essa missão em específico vocês não precisam saber.
H: °°
L: ue...
Ne: 😪 complicado
Sh: se me dão licença *abre a porta e sai
H: ... e agora?
Ne: *procurando umas coisas
é, não tá aqui
vamos pro ferreiro
*abre a porta e sai
H e L: ferreiro?
**chegando lá
Ne: *abre a porta que toca um sininho
??³: *olha pra trás {é um cara de cabelo e barba preta, super gigante com uma roupa de couro e uma calça}
OOOOO NEVASKA
Ne: eai ferreiro
??³: Oooo quanto tempo
H: ola... ferreiro né?
Sa: meu nome é Sakiro mas pode me chamar de saki
H: saki... legal
L: SAMUEL?
Sa: nao, saki.
Ne: a gente pode entrar aí e escolher algumas armas?
no caso eles né
a gente vai numa missão agora e-
Sa: OOOOO MAS POR QUE NAO PEDIU ANTES?
entra aí
H: woooooow
L: quanta coisa
Ne: escolham qualquer uma
H: *vê uma espada 3 vezes maior q ele
essa não
*vê uma adaga
essa também não
**enquanto ele tá mexendo cai uma espada na cabeça dele
AI u-ue
*olha pra espada e vê o reflexo do próprio rosto nela e no cabo de ouro
{pensa numa espada de pirata, é isso aí}
H: BELEZA EU VOU PEGAR ESSA AQHI
L: *pensando
Ne: eai, não vai escolher não?
L: EU TO PENSANDO Ô TIA
*vê uma espada que chega perto de ser uma ninjato mas não é (é tipo a espada do kazuma)
eu acho que... não. espada é coisa de político.
tem um arco não?
Ne: tem esse aqui *pega um arco bolado horizontal digno de um legolas
L: OOOO ISSO É MELHOR QUE A LEGISLAÇÃO DA INDONÉSIA
Ne: então tá decidido! aqui, ferreiro, são essas
Sa: *pega as espada do Henry e remenda ela e tal
*troca a corda do arco
prontinho, tá aqui suas armas
H: OOO GG
L: MULEEEQUE
Ne: hehehe agora vamos!
**saem da loja
Ne: antes da gente ir, tem algo que eu tenho que mostrar a vocês...
*vai em frente a uma parede
*tira uma das luvas e lambe o próprio dedo
*põe o dedo na parede e a parede começa a abrir
**se revela um grande estádio dentro de uma caverna
H: OOOOO
L: OOoo
Ne: a gente tem que treinar, vocês são meio toscos ainda
SEJAM BEM VINDOS!!! A Teikō
a arena de treinamento da resistência!
H: !!!
L: woooooow
Ne: vocês nunca lutaram de verdade né
**se posicionam a Nevaska de um lado e o Henry e o lusk de outro
Ne: AGORA EU VOU TREINAR VOCÊS DE VERDADE CARAMBA
*a voz dela ecoa
H: AI SIM
L: finalmente serei treinado..
Ne: PRIMEIRO, HENRY
H: oi
Ne: toma cuidado com a sua cauda, raposas são extremamente sensíveis aí, e isso é a nossa fraqueza
ENTÃO NAO DEIXA ACERTAREM AÍ
L: é, realmente, acertar lá atrás seria desinteressante.
Ne: E LUSK VOCE LUTA MUITO BEM
MAS PROCURA FOCAR NO SEU ELEMENTO
L: BELEZA
H: então o que faremos?
Ne: a gente vai descobrir o seu elemento
H: MEU?
Ne: E EU VOU ACABAR COM A RAÇA DE VOCÊS QUERO NEM SABER
*estende as duas mãos e forma a lança de gelo de novo
*começa a girar ela
*para de girar e bate com ela no chão criando um pouco de gelo em volta de si mesmo
*cria um casulo de gelo em volta de si mesma
PRIMEIRA COISA, VCS VAO TER Q ME ACERTAR AQUI
H: ...
L: ...moleza
*faz uma bola de ar
ESFERA DO REDEMOINHO
*joga bola no casulo de gelo que bate mas não causa efeito
H: puts queridão acho q sua bala de ar comprimido não deu muito certo
L: CALA A BOCA TA LEGAL? EU TENTEI PELO MENOS
H: *corre pra cima do casulo e acerta com a espada
*tenta fincar ela
Ne: *faz espinhos de gelo em volta do casulo e joga o Henry pra longe
H: hmmmm *olha o casulo se quebrando quando ela faz isso
°°
LUSK
o casulo fica fraco quando ataca
L: hmmmm...
H: se liga
*finca espada no chão
*sai correndo pra dar um soco no casulo
Ne: *faz os espinhos de novo
H: *troca de lugar com a espada que acerta e racha o casulo
L: gg mas agora você perdeu sua espada né mané
H: VOCE TEM UM FUCKING ARCO ACERTA AQUILO ALI
L: acertar é comigo mesmo
*mira certinho e lança a flecha mas ele erra
H: CACETE VOCE QUER UM OCULOS
to vendo que não vai dar certo fazer isso
faz outro redemoinho de não sei o que lá aí
L: se chama... ESFERA DO REDEMOINHO
*joga a esfera na rachadura que estoura o casulo e da uma grande ventania
Ne: hmmmm beleza
H: hm?
L: •~•
Ne: nada mal, foi mais rápido do que eu pensava...
mas vocês não tão num talk show então não é bom ficar conversando alto
*estende a mão e prende os pés do lusk com gelo
H: *vai pra cima da nevaska e ataca com a espada
Ne: *defende com a lança e chuta o Henry pra longe
*coloca a mão do lado da boca e cria uma bola de neve
BOLA DE NEVE
*lança no Henry
H: *desvia da bola de neve q bate na parede ali
eu nunca pensei que lutar seria tão maneiro
Ne: *olha diretamente pro Henry
hehe..
agora se prepara pro
L: AAAA SUA MALDITA
*atira uma flecha nela
Ne: *cria uma parede de gelo que para a flecha
L: oh
Ne: *vai pra cima do lusk que já tá solto
sabe qual a desvantagem de ter uma arma de longo alcance?
É QUE VOCE NAO ATACA DE PERTO
*acerta uma lançada na cara dele que joga ele pra longe
L: maldita cabeçuda
*junta as mãos
TORNADO BOLADO
H: é cada nome
L: *joga a Nevaska longe
Ne: Henry, tem uma coisa que eu quero te ensinar
*faz uma bola de neve
H: o que?
Ne: REBATE ISSO AQUI
*joga no Henry
H: O QUE
*leva uma bolada muito forte de neve no estômago e cai no chão
ai
Ne: peguei pesado?
H: *levanta VICE NEM ME FALA COMO QUE REFLETE COMO É QUE EU VOU SABER
L: O SEU COLCHONETE
Ne: aiaiai
HENRY
H: oi
Ne: direciona a sua mana pra espada
*estende a lança e faz o mesmo
*fecha os olhos
assim que você faz isso, a mana é como um espelho que reflete mínimas partículas de luz fazendo você ver a sua própria cara
é mais ou menos isso
mas concentrando com velocidade
você reflete o ataque e ele se torna seu
pensa num espelho
*olha pra lança e o reflexo dela mesma na ponta feita de gelo
H: como um espelho?
Ne: *lança outra bola de neve nele
H: espelho...
*consegue sentir a mana fluindo na lâmina
*e então quando chega o ataque ele sente a velocidade e vai com tudo direcionando o ataque de volta como se fosse ele concentrando a mana na espada
REFLEXO DE LUZ
Ne: *desvia
**bola de neve explode atrás dela
é isso, uma habilidade exclusiva das raposas
H: wooooah
L: E EU?
Ne: ei lusk, foca mais em um só ataque, depois você pensa nos outros
eu gostei muito dessa sua bolinha
H: a bola de gude arejada?
L: É ESFERA DO REDEMOINHO SEU HERBÍVORO
mas então...
*faz a esfera na mão
DEPENDENDO ELA FICA MUITO MAIS FORTE
*concsntra todas as energias nela e faz uma super bola maciça na mão
pesado
*lança ela bem rápido na direção da nevaska
Ne: *DESVIA MUITO POR POUCO
QUALÉ MANÉ TA TENTANDO ME MATAR
L: nao era esse o objetivo
Ne: CLARO QUE NÃO
a enfim, eu acho que tá tudo bem por agora
*bate a lança no chão e quebra ela
VAMOS NESSA PESSOAL
**chegam na porta de um caminho de árvores
{la tem um monte de cavalo preso, e olhando tem vários mapas e plaquinhas mostrando onde tão as vilas}
Ar: *segura ombro da nevaska
nevaska, você acha que vai ficar tudo bem com eles?
Ne: sim, eu confio neles
você não?
Ar: eu nunca disse nada
[obs: quando o Art aparecer a sigla dele ou vai ser AT ou ART mesmo]
Ne: eu tenho que ir
*puxa um cavalo
H: um cavalo só?
L: ele aguenta?
Ne: eu e henry valemos por 0,5 pessoa e o lusk por 0,8
L: como você calculou isso?
Ne: eu não calculei
L: porra.
**sobe Nevaska na frente, Henry no meio, e lusk atrás
(o cavalo nem sequer se mexe, parece a coisa mais fácil do mundo levar esses 3)
Ne: viu?
L: meu deus quantos quilos vocês tem?
Ne: vamos!
*faz um movimento lá e o cavalo começa a andar pra longe
Ar: *olhando
Wi: *encosta no Arthur
Arthur eu encontrei algo estranho...
Ar: o que houve
Wi: no quarto do shibaru... ele deixou umas anotações...
*mostra pro Arthur
Ar: *lê
*vê desenhos de um cristal da água e um guardião
guardioes de agua?
Wi: *vira página pra ele
Ar: ... *lê
Hoje eu ------(folha arrancada)
e me inflitrar na ordem ---------
roubar um certo alguém
Ar: você acha que?
Wi: sim.
Ar: vamos investigar isso
*saem correndo em direção a casa principal
...
No próximo episódio
NAJIYU EP 5
Escrituras de uma antiga pirâmide de espelhos...
🖤
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]